Devolução à Natureza de 23 andorinhões.


Entre 21 de Junho e 20 de Julho de 2017 foram devolvidos à Natureza vinte e três andorinhões que tinham ingressado no CERVAS.



Quinze destas aves eram andorinhões-pálidos (Apus pallidus) e oito andorinhões-pretos (Apus apus) sendo a maior parte juvenis que tinham ingressado após queda precoce do ninho.




Sempre que possível estas acções de devolução à Natureza foram realizadas com as pessoas que entregaram as aves e com grupos que desenvolveram actividades com o CERVAS.





Uma das principais mensagens é a de que a entrega destes animais nos centros de recuperação deve ser imediata e que não se deve mantê-los em casa nem alimentá-los com outro tipo de alimentos para além de insectos.




O sucesso na recuperação deste tipo de aves, totalmente adaptados à vida aérea e a uma dieta exclusivamente à base de insectos, é a redução do contacto com pessoas ao mínimo indispensável; contacto constante com outros indivíduos em pequenos grupos durante a permanência no centro; a alimentação adequada; e devolução à Natureza quando a plumagem estiver bem desenvolvida e a condição física for boa, em locais onde haja outros indivíduos.




Fique a saber um pouco mais sobre os andorinhões na Wilder aqui:


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Campanha de Natal 2022 - Apadrinhe um animal selvagem em recuperação!

Devolução à Natureza de 6 mochos-d´orelhas

Actividades sobre cogumelos silvestres em Gouveia

Devolução à Natureza de 98 andorinhões

Espécie do mês de Maio: Cobra-rateira

Saídas de campo de identificação de cogumelos silvestres em Gouveia

Plumoteca e Banco de Penas

Devolução à Natureza de 16 corujas-do-mato

Devolução à Natureza de 2 cágados-mediterrânicos

Devolução à Natureza de 1 pica-pau-malhado-grande após colisão com uma janela