Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2016

Devolução à Natureza de um milhafre-preto em Milagres, Leiria.


No dia 27 de Abril de 2016 o CERVAS participou numa acção de educação ambiental em Milagres, Leiria.


Esta actividade foi organizada pelo Colégio Senhor dos Milagres e foi integrada no projecto Juntos pela Floresta, promovido pela comunidade escolar em parceria com diversas entidades.



Ao final da manhã decorreu uma palestra sobre o trabalho desenvolvido pelo CERVAS durante a qual também foram apresentadas algumas das espécies que ingressam mais frequentemente no centro e as suas principais ameaças.


Ao início da tarde os alunos e professores recolheram lixo e plantaram árvores numa zona florestal que tem estado a ser intervencionada no âmbito do projecto.


No final da acção foi devolvido à Natureza um milhafre-preto (Milvus migrans) adulto que tinha sido resgatado pelo SEPNA/GNR a um particular que o tinha em cativeiro ilegal há vários anos.


O processo de recuperação foi longo, de cerca de um ano, e durante o mesmo a ave recuperou a plumagem de voo e esteve em permanente contacto com outras aves de rapina diurnas para socialização e treino.


A devolução à Natureza teve lugar numa área florestal com as características necessárias para a espécie, na presença de alunos e professores.


O CERVAS felicita o Colégio Senhor dos Milagres pela iniciativa, agradece o convite e está disponível para futuras acções que contribuam para a Educação Ambiental da comunidade escolar da zona de Leiria.



O CERVAS e o RIAS apresentaram o seu trabalho de Educação Ambiental no IX Congresso de Ornitologia da SPEA em Vila Real




A Associação ALDEIA participou no evento e apresentou os resultados do CERVAS e do RIAS ao nível da Educação Ambiental entre 2009 e 2015.


Em todas as acções desenvolvidas durante estes 7 anos de trabalho foram envolvidas 95948 pessoas, sendo de destacar as 49932 que estiveram presentes nas devoluções à Natureza de 3670 animais recuperados em ambos os centros.


Durante o evento foram também apresentados diversos trabalhos científicos, em formato de poster, nos quais os dois centros participaram.



Devolução à Natureza de 1 verdilhão que estava em cativeiro ilegal.


No dia 20 de Abril de 2016 foi devolvido à Natureza um verdilhão (Chloris chloris) em Gouveia.



Esta ave tinha sido apreendida pelo SEPNA/GNR de Gouveia, durante uma operação de fiscalização, a um particular que a tinha em cativeiro ilegal.


No momento do ingresso no CERVAS verificou-se que a ave não apresentava lesões pelo que o processo de recuperação foi rápido, de apenas alguns dias, e consistiu em alimentação e contacto com outra ave da mesma espécie.




A devolução à Natureza decorreu numa zona da cidade de Gouveia onde a espécie é comum, junto a jardins, hortas e outras áreas agrícolas.


Esteve presente na acção um grupo de cerca de 50 pessoas, dos Serviços Sociais da Administração Pública (zona de Lisboa), que tinham estado a visitar a Casa da Torre, no âmbito de um roteiro pela cidade organizado pelo Posto de Turismo / Município de Gouveia, a quem agradecemos por mais esta colaboração.




Devolução à Natureza de um texugo que tinha ficado preso num laço em Molelos, Tondela.


No dia 16 de Abril de 2016 foi devolvido à Natureza um texugo (Meles meles) em Molelos, Tondela.



Este animal tinha ficado preso num laço, uma armadilha ilegal provavelmente destinada à captura de javalis.


Segundo os relatos das pessoas que o encontraram, o texugo poderia já estar preso há vários dias. A recolha e encaminhamento do animal para o CERVAS foi realizado pelas equipas da GNR de Tondela e do SEPNA/GNR de Santa Comba Dão.


No momento do ingresso no centro verificou-se que se tratava de uma fêmea, e que esta poderia estar a amamentar, pelo que o processo de recuperação foi realizado o mais rapidamente possível, tendo consistido em repouso, alimentação e administração de vitaminas.


A devolução à Natureza foi realizada num local próximo de onde o texugo tinha sido encontrado, junto a campos agrícolas e zonas florestais.


O Instituto de Gouveia levou o teatro infantil Mauro e Emília ao Jardim de Infância.


No dia 13 de Abril de 2016 o Instituto de Gouveia, através de uma parceria com o CERVAS, começou a dinamizar um teatro infantil baseado no conto Mauro e Emília, de Ana Mafalda Alves.



Esta história foi criada no âmbito do projecto LIFE Trachemys, no qual o RIAS/Associação ALDEIA participou em conjunto com o Parque Biológico de Gaia, Cibio-Universidade do Porto e outros parceiros, e tem sido utilizada pelo CERVAS nos últimos anos para dar continuidade ao trabalho sobre a problemática do impacto das tartarugas invasoras, desta feita no âmbito do projecto "os cágados vão à escola".



A estreia decorreu no Jardim de Infância de Gouveia (JIG), dando sequência a actividades anteriores sobre esta temática com as crianças e educadoras desta entidade realizadas em Março e Abril de 2015, no âmbito do programa Eco-Escolas.



O CERVAS agradece ao Instituto de Gouveia pela colaboração, em especial à Jéssica, à Célia e ao João Nascimento por todo o empenho e interesse na criação e dinamização do teatro, e ao JIG por acolher mais esta actividade! 



Devolução à Natureza de 2 estorninhos-pretos, 1 chamariz e 3 verdilhões que estavam em cativeiro ilegal.


No dia 8 de Abril de 2016 foram devolvidos à Natureza 2 estorninhos-pretos (Sturnus unicolor), 1 chamariz (Serinus serinus) e 3 verdilhões (Chloris chloris) em vários locais do concelho de Gouveia.




Estas aves foram apreendidas pelo SEPNA/GNR de Gouveia a um particular que as mantinha em cativeiro ilegal e foram encaminhadas para o CERVAS, num total de 10 aves de espécies selvagens autóctones.




Após serem avaliadas e anilhadas as aves foram devolvidas à Natureza com o Jardim de Infância de Arcozelo (2 estorninhos-pretos), Fundação D. Laura dos Santos em Moimenta da Serra (1 chamariz e 1 verdilhão) e com o Jardim de Infância de Gouveia (2 verdilhões).




Nunca é demais recordar que a captura e cativeiro de espécies selvagens, como é o caso dos estorninhos, chamarizes ou verdilhões, mas também de melros, pintassilgos, corvídeos ou aves de rapina, não são permitidas e todas as situações devem ser denunciadas ao SEPNA/GNR através do SOS Ambiente 808200520.

Campanha de apadrinhamentos para as escolas!


E se toda a tua turma fosse madrinha de um animal selvagem em recuperação no CERVAS?

No âmbito da campanha de apadrinhamentos de animais selvagens em recuperação, o CERVAS em decidiu alargar a oportunidade de apadrinhar um animal selvagem às turmas das escolas do ensino básico e secundário.
O objectivo do apadrinhamento passa por fomentar, entre os alunos, o conhecimento sobre a fauna selvagem que o país possui ao mesmo tempo que colaboram com o trabalho de conservação que o CERVAS desenvolve. 

Pretende-se que o apadrinhamento tenha igualmente uma vertente pedagógica e funcione como estimulo para os alunos na procura de informação, não só a respeito do animal apadrinhado como também a tudo a que ele está relacionado. Que tipo de animal é, o que come, quais as suas adaptações ao meio natural, onde e como vive, quais as suas principais ameaças, e onde pode ser observado em meio natural? São algumas das perguntas que queremos que os alunos padrinhos descubram em grupo de forma didáctica e divertida! Levando assim à descoberta do património faunístico de Portugal e, consequentemente, despertar o interesse para a sua preservação e conservação. 


Ao apadrinharem um animal selvagem em recuperação no CERVAS, a turma receberá um certificado de apadrinhamento, um boletim informativo da espécie apadrinhada e fotografias! Para além disso a turma poderá visitar o espaço de interpretação do CERVAS, e perceber como funciona um centro de recuperação de animais selvagens, e visitar também a Casa da Torre (espaço de educação ambiental com exposições sobre a fauna selvagem), em Gouveia. Caso seja possível, poderá ainda haver oportunidade de a turma participar numa devolução à natureza de um animal selvagem recuperado no CERVAS*.

* Não podemos garantir sempre a disponibilidade de um animal para devolver à natureza com os alunos. A acção de devolução à natureza de um animal depende da altura do ano e da fase de recuperação dos animais que se encontrem no centro.

O apadrinhamento consiste numa contribuição simbólica única, mínimo de 50 euros ( 2 euros por aluno), e com a qual estarão a contribuir de forma decisiva na melhoria das condições dos animais em recuperação no CERVAS!

CHEQUE: Em nome de Associação ALDEIA enviado juntamente com a ficha de inscrição para a morada: CERVAS/ALDEIA
Apartado 126
6290-909 Gouveia

TRANSFERÊNCIA*: IBAN: PT 50003503540003190733089 CGDIPTPL (Caixa Geral de Depósitos de Gouveia)

* Enviar comprovativo de transferência por correio para a morada acima indicada, ou por correio electrónico para cervas.pnse@gmail.com

Contactos
E-mail: cervas.pnse@gmail.com
Tlm: 919457984
Morada: CERVAS/Associação ALDEIA
Apartado 126
6290-909 Gouveia

Fonte de imagens do cartaz: School vector designed by Freepik

Devolução à Natureza de 1 flamingo na Figueira da Foz


No dia 6 de Abril de 2016 foi devolvido à Natureza um flamingo (Phoenicopterus roseus) na ilha da Morraceira, na Figueira da Foz.



Este indivíduo adulto tinha sido encontrada por particulares no final de Março em Soure e foi encaminhado para o CERVAS através do SEPNA/GNR de Montemor-o-velho e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).



No momento do ingresso no centro verificou-se que a ave apresentava uma extensa ferida aberta ao longo de uma das asas e um grande hematoma na outra, para além de feridas nas patas, provavelmente devido a colisão com alguma estrutura e consequente queda.



O processo de recuperação consistiu no tratamento das lesões e alimentação específica, e tudo foi realizado no mais curto espaço de tempo possível devido ao facto dos flamingos selvagens não tolerarem bem o cativeiro.



A devolução à Natureza foi realizada com a colaboração do ICNF, que apoiou o CERVAS na escolha do local (frequentado por centenas de flamingos) e na anilhagem, tendo a ave caminhado tranquilamente para junto de um grande grupo de indivíduos da mesma espécie, de várias idades.



O CERVAS agradece a colaboração do ICNF, à Escola Superior Agrária de Coimbra / CERNAS, em particular à Myriam Kanoun-Boulé e ao Rui Ferreira pela prestação dos primeiros cuidados à ave e pelo apoio na sua devolução à Natureza e à Wilder pela notícia.