Mensagens

A mostrar mensagens de Agosto, 2013

Devolução à Natureza de 3 mochos-d´orelhas em Vila Nova de Tazem


No dia 27 de Agosto de 2013 às 21:30 foram devolvidos à Natureza 3 mochos-d´orelhas (Otus scops) em Vila Nova de Tazem, Gouveia.


Estes mochos eram juvenis e tinham ingressado no CERVAS devido a atropelamento, num dos casos, e após queda precoce do ninho.


O encaminhamento para o centro foi feito por equipas do SEPNA/GNR de Gouveia, Viseu e Guarda, após terem sido encontrados por particulares.


O mocho que tinha sido atropelado apresentava descoordenação motora mas não tinha lesões graves por isso a fase de recuperação clínica foi simples e rápida.


O restante processo de recuperação foi em conjunto com os outros 2 indivíduos juvenis, na companhia de um adulto irrecuperável que permanece no CERVAS desde 2009 precisamente para apoiar a recuperação de crias e juvenis, ao nível da socialização e treino de caça.


A devolução à Natureza foi realizada ao início da noite, num local com boas condições para a espécie, numa zona próxima a olivais, vinhas e campos agrícolas.



Devolução à Natureza de 1 coruja-do-mato em Oliveira de Frades


No dia 22 de Agosto de 2013 às 21:00 foi devolvida à Natureza uma coruja-do-mato (Strix aluco) em Arcozelo das Maias, Oliveira de Frades.


Esta ave tinha sido encontrada quando ainda era uma pequena cria, após queda precoce do ninho e foi encaminhada para o CERVAS pelas pessoas que a recolheram, através do SEPNA/GNR de Viseu.


Apesar de estar bastante debilitada e desidratada a coruja não apresentava lesões graves pelo que após a recuperação clínica inicial apenas foi necessário aguardar o desenvolvimento da plumagem e realização de treinos de voo e caça em contacto com outras aves da mesma espécie.


Devolução à Natureza de 2 corujas-do-mato em Viseu


Nos dias 21 e 22 de Agosto de 2013 foram devolvidas à Natureza duas corujas-do-mato (Strix aluco) em Loureiro de Silgueiros e Farminhão, respectivamente, no concelho de Viseu.



Ambas as aves tinham sido encontradas quando ainda eram pequenas crias, após queda precoce do ninho e tinham sido encaminhadas pelas pessoas que as recolheram para o CERVAS através de equipas do SEPNA/GNR de Viseu.



O processo de recuperação de ambas as aves foi semelhante e consistiu no desenvolvimento da plumagem e treino de voo e caça em conjunto com outras corujas-do-mato. 



Ambas as corujas foram devolvidas à Natureza ao final do dia, às 19:30, e nos mesmos locais onde tinham sido encontradas, no interior de zonas florestais.


Devolução à Natureza de 1 coruja-do-mato em Carvalhal Redondo, Nelas


No dia 21 de Agosto de 2013 às 21:00 foi devolvida à Natureza uma coruja-do-mato (Strix aluco) em Carvalhal Redondo, Nelas.



Esta ave tinha sido encontrada no chão, quando ainda era uma cria, e recolhida por particulares que a encaminharam para o CERVAS através do SEPNA/GNR de Mangualde.


Como a coruja não apresentava lesões o processo de recuperação foi simples e consistiu no desenvolvimento da plumagem e treino de voo e caça sempre em contacto com outras aves da mesma espécie.



A devolução à Natureza foi realizada no mesmo local onde a ave tinha sido encontrada, numa zona de bosques com as condições adequadas à espécie.





Espécie do mês de Agosto: Tartaranhão-ruivo-dos-pauis


O tartaranhão-ruivo-dos-pauis (Circus aeruginosus), também conhecido popularmente por Águia-sapeira, é uma espécie que ocorre no nosso país como residente, embora hajam indivíduos  que ocorram como migradores de passagem.

As principais características morfológicas que permitem identificar o tartaranhão-ruivo-dos-pauis são as asas e patas compridas e uma cabeça curta. A fêmea é diferente do macho, apresentando este as asas acinzentadas com a ponta escura, com a cauda também cinzenta, e a fêmea apresenta um padrão castanho-escuro mais uniforme. Em ambos, os ombros e a nuca são mais pálidos que o restante corpo. 
O tartaranhão-ruivo-dos-pauis apresenta um voo ondulado característico, quando paira a pequena altura sobre a vegetação rasteira e densa que muitas vezes permite a sua identificação em voo.

Esta espécie distribui-se no nosso país de norte a sul, ocorrendo essencialmente nas zonas húmidas situadas ao longo da faixa costeira, em áreas com vegetação palustre bem desenvolvida, em estuários, lagoas costeiras, pauis e açudes. Para caçar, frequenta normalmente caniçais, sapais, arrozais, assim como outros terrenos agrícolas e pastagens.

A população nidificante desta espécie em Portugal, aparentemente é sedentária, embora não hajam dados que comprovem esta hipótese. Parece haver igualmente um afluxo de aves com origem em altitudes mais elevadas principalmente durante o período de passagem e no Inverno.

A nidificação desta espécie ocorre sobretudo em caniçais, podendo ocorrer menos frequentemente, em povoamentos palustres de estrutura semelhante. A construção dos ninhos inicia-se em princípios de Março, embora os voos nupciais possam ser observados a partir de Fevereiro. O tartaranhão-ruivo-dos-pauis pode nidificar isoladamente ou de forma semicolonial. As posturas são compostas por 3 a 8 ovos e a incubação dura entre 31 e 38 dias. As crias estão aptas para voar ao fim de 35-40 dias, altura em que o macho abandona ficando as crias a cargo da progenitora por mais 15 ou 25 dias.

O tartaranhão-ruivo-dos-pauis alimenta-se de uma grande variedade de pequenos animais terrestres e aquáticos, que vão sendo consumidos consoante a sua disponibilidade e facilidade de captura. As presas preferenciais são roedores e crias de aves, embora esta espécie possa consumir igualmente restos de animais mortos, insectos, anfíbios, repteis e peixes.


Fica a nota que o tartaranhão-ruivo-dos-pauis é uma ave bastante especializada no que concerne ao seu habitat e, portanto, sensível às alterações provocadas pela intervenção humana.

Bibliografia:
- Catry, P., Costa, H., Elias, G. & Matias, R. 2010. Aves de Portugal: Ornitologia do Território Continental. Assírio & Alvim, Lisboa. ISBN: 978-972-37-1494-4.
- Bruun B., Svensson H. 2002. Aves de Portugal e Europa. Guias FAPAS. ISNB:972-95951-0-0

Devolução à Natureza de 1 mocho-galego em Casal da Senhora, Midões.


No dia 15 de Agosto de 2013 às 21:30 foi devolvido à Natureza um mocho-galego (Athene noctua) em Casal da Senhora, Midões, concelho de Tábua.



Esta ave tinha sido encontrada quando ainda era uma cria dentro de uma habitação da aldeia e entregue no CERVAS pela família que a recolheu.


O mocho não apresentava lesões por isso o processo de recuperação foi simples, consistindo em desenvolvimento da plumagem e treino de voo e caça em contacto com outras aves da mesma espécie.


A devolução à Natureza foi realizada num local próximo da casa onde a ave tinha sido encontrada, na presença de um grande número de habitantes locais, que demonstraram um enorme carinho e interesse pelo jovem mocho-galego, a quem deram o nome de "João Brandão", em homenagem a uma famosa personalidade histórica da região. 


O CERVAS agradece profundamente o acolhimento por parte da simpática população de Casal da Senhora, e em especial ao Paulo e à Ana pelo esforço que fizeram na entrega da ave e no apoio à preparação da acção de devolução à Natureza.




Devolução à Natureza de 2 mochos-galegos em Oliveira do Conde


No dia 15 de Agosto de 2013 às 20:30 foram devolvidos à Natureza dois mochos-galegos (Athene noctua) em Oliveira do Conde, Carregal do Sal.


Ambas as aves tinha sido encontradas quando ainda eram crias muito pequenas e encaminhadas para o CERVAS através do SEPNA/GNR de Santa Comba Dão.


Um dos mochos tinha sido encontrado junto ao edifício da Câmara Municipal de Carregal do Sal, em Março, e o outro dentro das instalações da Cruz Vermelha em Oliveira do Conde.


Nenhuma das aves apresentava lesões no momento do ingresso no CERVAS e o processo de recuperação consistiu no desenvolvimento da plumagem e treino de voo e caça em contacto com outros mochos-galegos.


A devolução à Natureza foi realizada num local próximo de onde um dos mochos tinha sido encontrado, na presença de habitantes locais e elementos da delegação da Cruz Vermelha em Oliveira do Conde, a quem o CERVAS agradece a colaboração na dinamização da acção e apoio ao trabalho do centro.



Devolução à Natureza de 2 águias-d´asa-redonda em Seia


No dia 15 de Agosto de 2013 foram devolvidas à Natureza duas águias-d´asa-redonda (Buteo buteo) em Pinhanços e Sameice, no concelho de Seia.



A primeira foi libertada junto ao aeródromo de Pinhanços, a poucos metros do bosque onde tinha sido encontrada ferida no início do ano.


A segunda foi libertada também num local muito próximo onde tinha sido encontrada com uma fractura numa das asas, compatível com abate a tiro, próximo da freguesia de Sameice.


Em ambos os casos o encaminhamento das águias para serem tratadas no CERVAS foi feito pelas pessoas que encontraram os animais, através do SEPNA/GNR de Gouveia.




CERVAS nas Festas do Senhor do Calvário 2013 em Gouveia


A Associação ALDEIA / CERVAS participou na edição de 2013 das Festas do Senhor do Calvário, em Gouveia.


Este evento decorreu entre 9 e 12 de Agosto e foi organizado pela Câmara Municipal de Gouveia (CMG).


A ALDEIA/CERVAS dinamizou um espaço de divulgação e educação ambiental na V Mostra Associativa do Concelho de Gouveia, cuja organização esteve a cargo do projecto Contrato Local de Desenvolvimento Social (CLDS) - Estrela Solidária.


Nos dias 11 e 12 entre as 21 e as 22h foram dinamizados workshop sobre fauna selvagem dirigidos à população local e às entidades que estavam a dinamizar a mostra associativa.


Para além de permitirem divulgar informação sobre os animais selvagens e algumas das suas problemáticas de conservação, estes momentos foram importantes para reforçar a relação do CERVAS com a população e instituições de Gouveia.


No dia 11, após o workshop, procedeu-se à devolução à Natureza de uma coruja-do-mato (Strix aluco) que tinha ingressado no CERVAS após queda precoce do ninho.


A libertação foi realizada com alguns dos participantes no workshop junto ao anfiteatro da Mata da Cerca, um local que reune excelente condições para a espécie.


O CERVAS agradece à CMG e CLDS pela oportunidade de participar no evento e divulgar o seu trabalho, mantendo a disponibilidade para futuras acções de colaboração.

Devolução à Natureza de 1 coruja-do-mato em Guia, Pombal.


No dia 8 de Agosto de 2013 às 21:00 foi devolvida à Natureza uma coruja-do-mato (Strix aluco) em Guia, Pombal.


Esta ave tinha caído precocemente do ninho e ingressou no CERVAS no início de Abril após ter sido encontrada por particulares que a encaminharam para a Reserva Natural do Paul da Arzila, em Coimbra.


Esta coruja foi a primeira cria que entrou no CERVAS em 2013 e o processo de recuperação passou pelo desenvolvimento da plumagem em simultâneo com processo de treino e aprendizagem em conjunto com outras corujas-do-mato de diferentes idades.



O CERVAS agradece às pessoas que encontraram a coruja pelo interesse e dedicação ao animal, pelo apoio prestado ao trabalho do CERVAS, e ainda pela simpatia e hospitalidade.