Mensagens

Devolução à Natureza de uma coruja-do-nabal

 

No dia 8 de Janeiro de 2021 foi devolvida à Natureza uma coruja-do-nabal (Asio flammeus) no Percurso de Salreu / Bioria


Esta ave tinha sido encontrada por habitantes locais dentro de uma aldeia do concelho de Pinhel no final de Novembro de 2020 e entregue no CERVAS pelo SEPNA/GNR de Pinhel.


A causa de ingresso foi colisão contra uma estrutura, provavelmente uma janela ou porta de vidro, e a ave apresentava sintomas neurológicos relacionados com o trauma, descoordenação motora e desequilíbrio.


O processo de recuperação durou cerca de 1 mês e meio e consistiu em terapia específica e de suporte, bem como alimentação forçada na fase inicial, ao que se seguiu um período de treino de voo, em contacto permanente com outra ave (irrecuperável) da mesma espécie.


Como na zona onde a ave foi encontrada o habitat não é, pelo menos teoriamente, adequado à espécie, e há poucos registos da mesma nessa região, optou-se por devolver a coruja-do-nabal à Natureza em Salreu, onde há melhor habitat e onde há mais registos da espécie.


O CERVAS agradece a todas as pessoas envolvidas no resgate e preparação da devolução à Natureza desta que foi a primeira coruja-do-nabal que o centro libertou até ao momento.


Devolução à Natureza de 16 corujas-do-mato

Entre final de Maio e Dezembro de 2020 foram devolvidas à Natureza 16 corujas-do-mato (Strix aluco).








A principal causa de ingresso foi queda do ninho, seguida de atropelamento e colisão contra estruturas, principalmente janelas de vidro.







Após período de recuperação de lesões, nos casos em que as havia, e de socialização e treino de voo e caça em conjunto com outras corujas-do-mato de diferentes idades, as devoluções à Natureza decorreram em zonas florestais onde a espécie ocorre.








Devolução à Natureza de 12 águias-d´asa-redonda

 

Entre Julho e Dezembro de 2020 foram devolvidas à Natureza 12 águias-d´asa-redonda (Buteo buteo).







A principal causa de ingresso foi atropelamento mas também houve casos de queda do ninho e tiro.






Após recuperação das lesões e treino de voo em conjunto com outras aves de rapina diurnas, todas as aves foram libertadas em locais onde a espécie ocorre.










Devolução à Natureza de 4 gaviões

 

Entre 4 de Novembro e 30 de Dezembro de 2020 foram devolvidos à Natureza 4 gaviões (Accipiter nisus).


Todos os indivíduos tinham sido vítimas de acidente de colisão contra janelas, uma das causas de ingresso mais comuns nesta espécie de ave de rapina, que caça maioritariamente pequenas aves em meios urbanos.



As aves apresentavam lesões neurológicas derivadas do trauma violento, tendo sido tratadas e depois de um período de recuperação e treino foram devolvidas à Natureza em áres florestais e agrícolas onde a espécie ocorre.