terça-feira, 12 de novembro de 2013

Espécie do mês de Novembro: Ferreirinha-serrana



A ferreirinha-serrana (Prunella Collaris), também conhecida por ferreirinha-alpina é um passeriforme que ocorre em Portugal durante o Inverno, sendo considerada uma espécie invernante rara e localizada.
A ferreirinha-serrana apresenta uma plumagem acinzentada na cabeça com tons acastanhados no resto do corpo. Possui um bico fino com amarelo na base, e apresenta os flancos riscados de cor-de-laranja.



Apesar de a ferreirinha-serrana ser considerada rara no nosso país, apresenta uma distribuição alargada, embora localizada, durante o seu período de invernada. É invernante regular na região da Peneda Gerês, na serra da Estrela, nas Portas de Rodão e no Castelo de Marvão, embora a zona onde a sua ocorrência seja mais bem conhecida, seja a serra de Sintra, ocorrendo em diversos pontos desta serra.

A ferreirinha-serrana frequenta normalmente zonas expostas, de solo rochoso e vegetação esparsa, situadas quer em montanhas, quer em promontórios costeiros ou mesmo ruínas e construções situadas em locais elevados, como por exemplo, castelos. Esta espécie ocorre desde um pouco acima do nível do mar até ao topo da serra da estrela, frequentando ai as zonas mais altas, mesmo quando a serra está coberta de neve.
Dado que muitas das zonas onde a ferreirinha-serrana ocorre, são isoladas e de difícil acesso, a sua prospecção torna-se igualmente difícil, por isso é possível que a sua abundância e distribuição se encontrem subestimadas.


Normalmente a ferreirinha-serrana é observada em pequenos grupos de 3 a 6 indivíduos, embora a maior parte dos registos se reportem a aves isoladas.
A ferreirinha-serrana ocorre em Portugal de finais de Outubro a finais de Março, embora muitas vezes possa ser encontrada a partir de finais de Setembro. A origem destas aves invernantes é desconhecida, apesar de ser provável que envolva indivíduos dos maciços montanhosos espanhóis e, porventura, também dos Alpes.

A ferreirinha-serrana alimenta-se de insectos e também de pequenas sementes, que procura no solo.

Bibliografia: 
Catry, P., Costa, H., Elias, G. & Matias, R. 2010. Aves de Portugal: Ornitologia do Território Continental. Assírio & Alvim, Lisboa. ISBN: 978-972-37-1494-4.

Sem comentários: