quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Espécie do mês de Novembro: Narceja-comum



A narceja-comum (Gallinago gallinago) é uma ave limícola migradora de passagem e invernante, comum no nosso país.
Possui um grande bico que é quase o dobro da longitude da cabeça e que se nota inclusive em voo, e é utilizado como sonda quando se alimenta dentro de água, enterrando o bico com movimentos rápidos como uma máquina de costura. A plumagem é estriada e possui os flancos barrados com o ventre branco e patas compridas e esverdeadas. Na coroa possui uma lista média clara e uma larga lista superciliar creme.




A narceja-comum levanta voo do solo de forma imprevisível fugindo em velozes ziguezagues e elevando-se em altitude. Durante as paradas nupciais executa um voo picado em “montanha russa” e as suas rectrizes exteriores produzem um som que faz lembrar uma cabra, daí ser conhecida popularmente por cabra-do-ar e cabra-velha.

Durante o inverno a narceja-comum encontra-se por todo o território nacional sendo mais abundante no litoral e nas várzeas de grandes rios como o Mondego, o Tejo e o Sado. Frequenta terrenos alagados de água doce ou salobra, (embora nestes últimos seja menos numerosa), com alguma vegetação como prados e restolhos de arroz ou outros terrenos agrícolas alagados, bem como pastagens encharcadas, sendo os seus habitats de eleição os pauis com caniço, junco e áreas de erva curta e lama, onde podem ser vistas concentrações destas aves de mais de uma centena.

As primeiras narcejas migradoras chegam ao nosso país no princípio de Agosto, apesar de a espécie ser pouco frequente até ao final de Setembro, sendo observadas com mais frequência em Outubro. A maioria das aves invernantes abandona o nosso país entre Março e Abril podendo ainda ser observados alguns indivíduos em Maio. Estas aves invernantes provêm de uma vasta área que vai da Islândia, e do Reino Unido à Finlândia, à ex-Checoslováquia, à Áustria e à Ucrânia.

Em Portugal existe uma população nidificante residual de narceja-comum que se encontra em risco de extinção na região do Barroso (Montalegre). A sua época de nidificação é (ou era) bastante alargada encontrando ninhos com ovos no princípio de Maio ao início de Agosto, estes encontram-se muito bem escondidos no chão entre erva relativamente curta. Normalmente colocam 4 ovos durando a incubação 18 a 21 dias e as crias estão aptas a voar aos 19-21 dias de idade. 

A narceja-comum alimenta-se sobretudo de insectos (adultos e larvas), moluscos e oligoquetas.

As suas principais ameaças são a consequente perda de habitat e o facto de a narceja-comum ser uma espécie cinegética em Portugal, apesar de o impacto da caça nas populações ser ainda desconhecido. 



Sem comentários: