quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Libertações: 16 e 17 de Novembro de 2010

16 de Novembro de 2010, Terça-feira
14:00h - Devolução à natureza de um açor (
Accipiter gentilis)
Mata da Margaraça - Freguesia de Benfeita - Arganil



Esta ave era um juvenil que após ter caído do ninho durante um abate de árvores foi mantida numa situação de cativeiro ilegal, em casa de um particular, tendo sido apreendida pela equipa do SEPNA da GNR de Anadia. Na altura do seu ingresso neste centro verificou-se que a plumagem de voo tinha sido cortada de forma intencional e que apresentava sinais ligeiros de domesticação. O seu processo de recuperação passou por permitir que decorresse uma muda natural das penas danificadas e ainda no contacto com animais selvagens da mesma espécie, de modo a que a ave recuperasse os comportamentos normais. Para além disso, foi submetida a treinos de voo e de caça. A sua devolução à natureza decorreu num local adequado à espécie.



No momento de devolução à natureza deste açor estiveram presentes cerca de 20 pessoas, entre as quais os idosos do Centro Paroquial e Social de Benfeita, técnicos do ICNB - Paisagem Protegida da Serra do Açor, um vigilante da natureza, os funcionários da Mata da Margaraça e técnicos do CERVAS. Esta ave foi baptizada de 'Benjamim'.


video


O CERVAS agradece o apoio e colaboração na organização e divulgação desta actividade ao ICNB, em concreto às técnicas da PPSA - ICNB.


17 de Novembro de 2010, Quarta-feira
10:00h - Percurso pedestre pela Mata Nacional do Buçaco

12:15h - Devolução à natureza de um açor (
Accipiter gentilis)
Mata Nacional do Buçaco - Freguesia do Luso - Mealhada


Esta ave, à semelhança do açor devolvido à natureza no dia 16, foi fruto da mesma apreensão efectuada pelo SEPNA/GNR de Anadia a um particular que após um abate de àrvores recolheu as crias e as manteve em cativeiro. Chegou ao centro ainda juvenil, com as penas de voo todas cortadas intencionalmente o que obrigou a que estes animais permanecessem aproximadamente um ano e cinco meses em recuperação no CERVAS de forma a efectuar a muda completa dessas penas. Apresentava sinais ligeiros de domesticação e o seu processo de recuperação passou por, além da muda natural das penas danificadas, pelo contacto com animais selvagens da mesma espécie de modo a que a ave recuperasse os comportamentos normais, e também foi submetida a treinos de voo e de caça. A sua devolução à natureza decorreu num local adequado à espécie.

O dia começou com um percurso pedestre pela fascinante Mata do Buçaco, onde as biólogas e investigadoras Drª Rosa Pinho (UA), Drª Lísia Lopes(UA) e a Drª Milene Matos abordaram a diversidade de fauna e flora da Mata e a importância da mesma para a conservação da biodiversidade na região centro.



Dentro da Mata é possível encontrar uma zona em que o coberto vegetal seria muito semelhante à floresta que se poderia encontrar no passado, a Floresta Climácica, e que , na Mata do Buçaco, apresenta uma associação única de plantas em Portugal. Durante o percurso foi-se ao local onde se encontram algumas árvores que foram consideradas notáveis, quer pela sua dimensão, importância histórica ou singularidade, num estudo desenvolvido pelas investigadoras. A Mata apresenta cerca de 270 espécies diferentes de árvores e arbustos (a maior parte árvores exóticas) formando um arboreto magnifico e também se destaca por ser um local com elevado interesse histórico e religioso.



Em relação à fauna, a Mata do Buçaco alberga um grande número de vertebrados, sendo um dos locais mais importantes da região centro para a reprodução de algumas espécies de morcegos. Na mata pode-se encontrar salamandra-lusitânica (
Chioglossa lusitanica), um endemismo ibérico, entre outras espécies de anfíbios, répteis e também de mamíferos. Dada a área da Mata Nacional do Buçaco este é um local extremamente interessante do ponto de vista científico, e mesmo lúdico, e com uma enorme biodiversidade.


A devolução à natureza desta ave foi nas Portas de Coimbra, e estiveram presentes cerca de 19 pessoas, entre as quais o Sr. Presidente da Fundação Mata do Buçaco e alguns técnicos da mesma, particulares, o SEPNA/GNR de Anadia, a quem agradecemos a sua presença, técnicos do CERVAS e as investigadoras que acompanharam o grupo durante a manhã. A ave foi baptizada de 'Bussaco' e contemplou os participantes com um voo magnifico, um momento único já que foi o seu primeiro voo em liberdade após um longo processo de recuperação.


video

O CERVAS agradece à Drª Rosa Pinho, Drª Lísia Lopes e Drª Milene Matos a sua presença nesta actividade, e à Fundação Mata do Buçaco pelo apoio e colaboração na organização e divulgação deste evento.

Para saber mais sobre a problemática do Cativeiro Ilegal carregue AQUI.

Sem comentários: