segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Fim de Semana Europeu de Observação de Aves 2015 - As Aves da Serra da Estrela


Nos dias 3 e 4 Outubro de 2015 decorreu mais uma edição do Fim de Semana Europeu de Observação de Aves, uma iniciativa coordenada a nível nacional pela Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA)


Tal como nos anos anteriores o Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) e o CERVAS/ALDEIA dinamizaram uma saída dedicada às Aves da Serra da Estrela, com a colaboração do Parque Natural da Serra da Estrela / ICNF.


Esta actividade contou com a participação de cerca de 30 pessoas de diferentes pontos do país e durante os dois dias foram registadas 71 espécies de aves.


Os primeiros pontos de observação, com pequenos percursos pedestres, decorreram no concelho de Seia, nomeadamente junto ao rio Seia e na zona do aeródromo de Pinhanços para observação de aves características de zonas ribeirinhas, agrícolas e florestais.


Nesta zona foi também devolvida à Natureza uma águia-d´asa-redonda (Buteo buteo) que tinha sido recuperada no CERVAS.


De seguida, tendo como objectivo as aves de montanha, a actividade prosseguiu nos concelhos de Gouveia e Manteigas, com paragens no Vale do Rossim e Penhas Douradas, e ainda nas zonas alta da Covilhã e Seia, no alto da Pedrice, Cântaro Magro e Torre.


No segundo dia, apesar de alguma chuva e muito vento ainda foi possível realizar diferentes pontos de observação em zonas húmidas e agrícolas do concelho de Gouveia em Rio Torto, Arcozelo e Ribamondego, e a última parte da actividade decorreu no concelho de Celorico da Beira nas zonas agrícolas e florestais de Cortiçô, Salgueirais e Linhares.



Entre as cerca de sete dezenas de espécies registadas destacam-se algumas que se encontram em passagem na região como é o caso do cartaxo-nortenho (Saxicola rubetra) ou a alvéola-amarela (Motacilla flava), outras que são nidificantes e que estão já em migração como o mocho-d´orelhas (Otus scops)  - 1 indivíduo atropelado - ou o noitibó da Europa (Caprimulgus europaeus) e ainda algumas invernantes acabadas de chegar como a petinha-dos-prados (Anthus pratensis).



Sem comentários: