Espécie do mês de Abril: Coelho-bravo

Juvenil de coelho-bravo

O coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus) é uma das duas subespécies que ocorrem na Península Ibérica. Mais pequeno e menos esguio que as lebres, o coelho-bravo possui orelhas com um comprimento inferior ao da cabeça e com as pontas castanhas. O pêlo do ventre é cinzento-azulado e a zona superior do pescoço tem uma mancha castanho-avermelhada. A superfície superior da cauda é castanho-escura sendo branca por baixo, característica esta visível quando foge.

O habitat típico do coelho-bravo é composto por um mosaico de pastagens e culturas intercaladas com bosques e matagais mediterrânicos. O coelho-bravo prefere zonas de orla privilegiando a proximidade às áreas de alimentação e aos locais de abrigo. Necessitam de solos secos, bem drenados e pouco compactados que lhes permitam a construção de tocas. O sistema de tocas que o coelho-bravo possui, tem a designação de coelheira, sendo este um sistema de túneis subterrâneos que a maioria dos coelhos escava. As características da coelheira dependem do habitat e da densidade populacional.

Os coelhos são territoriais, formando grupos familiares organizados. Os machos dominantes marcam o seu território através da deposição de excrementos em latrinas e da secreção de diversas glândulas e urina. O coelho-bravo possui normalmente uma actividade crepuscular e nocturna, podendo também ter uma actividade diurna quando não há perturbação por parte do Homem.
O coelho-bravo é uma espécie que adapta o seu ciclo reprodutivo às características do meio em que se encontra. Os coelhos atingem precocemente a maturidade sexual (com menos de um ano), ocorrendo a época de reprodução entre os meses de Outubro e Junho, havendo uma pausa reprodutiva durante os meses de Verão (Julho a Setembro), altura em que o alimento é pouco abundante e de qualidade inferior. Durante a época de reprodução as fêmeas podem construir uma pequena toca próximo das tocas principais. A gestação dura entre 28 e 30 dias e em média nascem 4 crias sem pêlo e com os olhos fechados, permanecendo na toca de reprodução durante uns 20 dias. Cada fêmea pode ter até 3 a 4 ninhadas por ano.


O coelho-bravo é um animal herbívoro, consumindo principalmente plantas herbáceas, apresentando no entanto, preferência pelas gramíneas. A sua dieta está dependente do tipo de alimento disponível e da época do ano, sendo assim, no Verão altura em que diminui a quantidade de gramíneas verdes, o coelho-bravo alimenta-se de outras herbáceas, bem como de plantas de porte arbustivo, como a esteva.

Os efectivos populacionais de coelho-bravo têm vindo a diminuir, em parte devido à deterioração do habitat provocada pelo abandono da agricultura tradicional, a actividade cinegética desordenada e excessiva, e a prevalência de doenças víricas como a mixomatose e a doença hemorrágica viral.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Espécie do mês de Maio: Cobra-rateira

Devolução à Natureza de 1 coruja-do-mato no Festival Músicas do Bosque

Devolução à Natureza de 1 gaio na Mata da Cerca com o Club Camões

Espécie do mês de Junho: Víbora-cornuda

Espécie do mês de Junho: Ouriço-cacheiro

Devolução à Natureza de um tartaranhão-ruivo-dos-pauis na Figueira da Foz

Espécie do mês de Setembro: Cágado-mediterrânico

Espécie do mês de Setembro: Estorninho-preto

II passeio de observação de aves e devolução à Natureza de 1 milhafre-preto em Marmeleira, Mortágua.