segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

17 e 18 de Dezembro de 2011: Workshop: Aves Invernantes da Serra da Estrela, 2ª Edição


Nos dias 17 e 18 de Dezembro de 2011 decorreu a segunda edição do Workshop: Aves Invernantes da Serra da Estrela, uma actividade organizada pela ALDEIA/CERVAS e CISE - Centro de Interpretação da Serra da Estrela.



Após uma breve apresentação do curso nas instalações do CISE em Seia e recepção dos 22 participantes que vieram de diversas zonas do país foi realizada uma primeira sessão de observação de aves numa área agrícola em zona húmida, na baixa do Rio Seia. Aqui, os participantes puderam observar garças-reais, águias de asa-redonda, e diversos passeriformes, alguns deles invernantes como a petinha-dos-prados (Anthus pratensis) ou a felosinha (Phylloscopus collybita).


Durante a tarde, ainda em áreas agrícolas em zonas ribeirinhas, ao longo do Rio Mondego, foi possível observar espécies que frequentam esta região da Serra da Estrela durante o Inverno, como os corvos-marinhos (Phalacrocorax carbo) e realizar excelentes e longas observações de aves como o guarda-rios (Alcedo atthis).


No final do primeiro dia, novamente nas instalações do CISE foram apresentadas comunicações orais sobre as aves invernantes da Serra da Estrela e os locais de interesse para a sua observação, as adaptações das aves ao frio e as migrações de Outono/Inverno.


O segundo dia teve início bem cedo no Vale do Rossim e Penhas Douradas, excelentes zonas de montanha para observação de aves no Inverno, onde foi possível observar os primeiros tentilhões-monteses (Fringilla montifringilla), tordos-ruivos (Turdus iliacus) e ainda dois cruza-bicos (Loxia curvirostra), a grande observação da manhã.


Ao final da manhã os locais escolhidos foram novamente as áreas agrícolas em zonas húmidas, agora na baixa do Rio Zêzere, onde foi possível observar prolongadamente o melro-d´água (Cinclus cinclus), abibes (Vanellus vanellus), narcejas (Gallinago gallinago) entre outros.


Para a zona da Covilhã, estava reservada uma das grandes surpresas do dia, um esmerilhão (Falco columbarius), o primeiro registo desta espécie para a Serra da Estrela.


O final do dia decorreu novamente em zonas de montanha, tendo sido possível observar diversas espécies de tordos nas Penhas da Saúde, sendo de destacar o tordo-zornal (Turdus pilaris).


Na Torre, com pouca neve mas muito frio e vento, os participantes tiveram a excelente oportunidade de observar um bando de 11 ferreirinhas-serranas (Prunella collaris), a alimentarem-se tranquilamente a poucos metros do grupo, ao pôr do sol.



O workshop revelou-se extremamente positivo a vários níveis, sendo de destacar o elevado número de espécies observadas, cerca de 60, o que foi possível não só pela excelente qualidade dos locais mas também pelas condições climatéricas agradáveis. Seguramente decorrerão novas edições deste curso, que constitui uma excelente oportunidade para os participantes conhecerem bem a Serra da Estrela e a sua avifauna característica.

Sem comentários: