segunda-feira, 15 de março de 2010

Saída de Campo: Observação e Identificação de Árvores e Arbustos

Ao cultivar o interesse pela flora autóctone e restante biodiversidade associada, está-se a aprender e contribuir para a divulgação, preservação e conservação do património natural, essencial nos dias que correm.

Foto: Lísia Lopes (Narcissus sp.)

Com este intuito, o CERVAS organizou uma saída de campo no passado dia 13 de Março , no Concelho de Gouveia, que contou com a presença de 17 participantes. A actividade iniciou-se na delegação do Parque Natural da Serra da Estrela, onde se introduziu a matéria com uma curta sessão teórica, que abordou o tema do herbário e a sua importância para os diferentes estudos que se podem fazer com o mesmo, havendo em seguida uma abordagem aos projectos em que os responsáveis pelo herbário do departamento de Biologia da Universidade de Aveiro já participaram, ou estão a participar. Deste modo abriu-se caminho para a saída de campo que decorreu durante o resto do dia. Os trabalhos de campo tiveram inicio nas instalações do CERVAS, onde se identificou a flora presente nos espaços deste centro e se discutiram as possibilidades de enriquecimento a nível floristico do mesmo. Segiu-se uma caminhada pelo Parque Biológico de Gouveia, que permitiu a identificação de várias espécies autóctones, como também algumas espécies ornamentais.

Foto: Ricardo Brandão

A saída continuou no Curral do Negro, uma mata em que os carvalhos, as faias e os medronheiros dominam a paisagem. Durante a tarde e ao longo do caminho que levaria ao ponto de paragem seguinte, observaram-se monoculturas de pinheiro, pseudotsuga e betula. Neste caminho registaram-se também algumas flores anuais, e características pela sua precocidade da floração, diversas espécies de narcisos (todas as espécies de narciso são protegidas) e um belíssimo conjunto de crocos a preencher o solo da floresta.

Foto: Lísia Lopes (Crocus carpetanus)

O ponto seguinte de observação decorreu nas zonas circundantes ao CEAF - Centro de Educação Ambiental de Folgosinho, onde se encontrou uma floresta de coníferas, que apesar da sua beleza, se encontra de alguma forma deslocada do ambiente natural que se encontra na Serra da Estrela. Registou-se alguma variedade de coníferas, desde pinheiros, larícios, ciprestes e abetos.

Foto: Ricardo Brandão (Pseudotsuga menziesii)

O último ponto de paragem realizou-se em Ribamondego, junto ao Rio Mondego, onde apesar da paisagem ser dominada por uma antiga plantação de choupos, é possível observar-se flora característica das zonas ripícolas, como freixos e amieiros e algumas herbáceas, muitas com carisma medicinal.

Fazendo um balanço pessoal a saída correu dentro do espectável, com a observação de muitas espécies, num dia em que o sol não se escondeu e com um grupo de pessoas bastante divertidas, concretizando um dia agradável.


Lista de espécies observadas

Árvores e Arbustos:
Fagus sylvatica - Faia
Quercus rubra - Carvalho-americano
Quercus robur - Carvalho-alvarinho
Quercus suber - Sobreiro
Quercus pyrenaica - Carvalho-negral
Castanea sativa - Castanheiro
Pinus pinaster – Pinheiro-bravo
Pinus pinea – Pinheiro-manso
Pinus sylvestris – Pinheiro-de-casquinha
Pseudotsuga menziesii – Abeto-de-douglas
Cupressus macrocarpa – Cipreste-da-califórnia
Larix decidua – Lariço-europeu
Chamaecyparis lawsoniana – Cipreste-de-lawson
Cupressus sempervirens – Cipreste-dos-cemitérios
Cupressus lusitanica – Cedro-do-buçaco
Abies alba – Abeto-branco
Salix atrocinerea – Salgueiro-preto; Borrazeira-preta
Alnus glutinosa – Amieiro
Betula alba – Bétula; Vidoeiro
Acer pseudoplatanus – Plátano-bastardo; Bordo
Aesculus hippocastanum – Castanheiro-da-india-de-flores-brancas
Juniperus oxycedrus – Zimbro-bravo
Prunus laurocerassus – Louro-cerejo
Salix alba – Salgueiro-branco
Olea europea var. europea - Oliveira
Eucaliptus globulus – Eucalipto-comum
Viburnum tinus - Folhado
Sambucus nigra - Sabugueiro
Fraxinus angustifolia subsp. angustifolia - Freixo-de-folha-estreita
Arbutus unedo - Medronheiro
Populus alba – Choupo-branco
Populus nigra – Choupo negro
Ilex aquifolium - Azevinho
Platanus x hispanica – Plátano-comum
Cytisus grandiflorus – Giesta-amarela-das-sebes
Cytisus multiflorus – Giesta-branca
Cytisus striatus – Giesta-amarela
Ulex europaeus – Tojo
Vitis vinífera – Videira
Erica arborea – Urze-arbórea; Urze-branca
Erica australis – Urze-vermelha
Erica lusitanica - Queiroga
Rhododendron ponticum - Rododendro
Nerium oleander - loendro
Rubus ulmifolios – Silva
Cistus ladanifer – Esteva
Crataegus monogyna - Pilriteiro

Flora herbácea
Saxifraga granulata
Narcissus triandrus – Narciso
Crocus carpetanus – Açafrão-bravo
Ranunculus ficaria – Erva-hemorroidal
Lamium purpureum – Lâmio-roxo
Lamium maculatum - Chuchas
Narcissus bulbocodium – Campainhas-amarelas
Hedera helix - Hera
Thymus caespititus – Tormentelo (rupícola)
Euphorbia helioscopia - Maleiteira
Digitalis purpurea - Dedaleira
Chelidonium majus – Erva-das-verrugas
Oxalis pes-caprae – Erva-azeda

Fetos
Blechnum spicant
Pteridium aquilinum

Invasoras
Acacia dealbata – Mimosa
Acacia melanoxylon – Austrália
Cortaderia selloana – Erva-das-pampas ou penachos

2 comentários:

TSJ Online disse...

Boa iniciativa. Penso que as imagens deveriam ter legendas.

CERVAS disse...

Agradecemos a sugestão...