Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2012

19 a 22 de Março de 2012: Semana da Floresta em Gouveia

Em colaboração com o Município de Gouveia e Parque Natural da Serra da Estrela a ALDEIA/CERVAS dinamizou acções em escolas do concelho no âmbito das comemorações da Semana da Floresta, entre 19 e 22 de Março de 2012.

Durante 4 dias decorreram acções em escolas de todas as freguesias de Gouveia que envolveram 748 crianças de Jardins de Infância (JI) e Escolas de Ensino Básico (EB) onde foram abordadas diversas temáticas relacionadas com a floresta.

A ALDEIA/CERVAS dinamizou acções relacionadas com os sons da floresta, com particular destaque para os cantos das aves, através de apresentações, jogos, danças e outras actividades dirigidas às crianças.

A primeira acção, no dia 19, foi realizada com o JI de Nabais onde para além das acções relacionadas com as aves se fez uma plantação simbólica de uma árvore de fruto.

No dia 20 de manhã, em Vinhó, foi realizada uma acção para os cerca de 20 alunos e professoras do JI e EB1.

Para além da acção teórica os alunos tiveram a oportunidade de observar e escutar algumas aves no exterior da escola, como por exemplo o chamariz (Serinus serinus), enquando plantavam uma árvore.

No dia 20 à tarde, em S. Julião, a acção foi desenvolvida com os cerca de 60 alunos e professores da EB1 de S. Julião.

Nesta escola decorreram duas acções em simultâneo e foram plantadas duas árvores no final, com a estusiástica colaboração dos alunos e professores.




A última acção da ALDEIA/CERVAS decorreu no dia 22, de manhã, em Lagarinhos, onde para além das acções semelhantes às realizadas nas outras escolas, os alunos tiveram a felicidade de poder assistir à devolução à Natureza de uma águia-calçada (Aquila pennata) recuperada no CERVAS.

Nesta acção foram reunidos os cerca de 40 alunos do Abrigo da Sagrada Família e da EB1 de Lagarinhos.

23 de Março de 2012: Devolução à Natureza de 1 cegonha-branca

No dia 23 de Março de 2012 às 16:00 foi devolvida à Natureza uma cegonha-branca (Ciconia ciconia) junto ao Mosteiro Flor da Rosa, no Crato (Portalegre).

Esta ave tinha ingressado no CERVAS no dia 15 de Fevereiro de 2012, após ter sido encontrada ferida por uma funcionária da Pousada do Crato, Flor da Rosa, e encaminhada para o centro pelo Parque Natural da Serra de S. Mamede.

A ave apresentava uma fractura numa das asas, possivelmente devido a trauma por colisão contra alguma estrutura. Após ser tratada e treinada, a cegonha foi novamente libertada onde tinha sido encontrada, tendo ficado de imediato em contacto com outras cegonhas existentes no local.

23 de Março de 2012: CERVAS na Guia, Pombal

No dia 23 de Março de 2012 a ALDEIA/CERVAS realizou duas acções de educação ambiental para crianças na Guia, Pombal, após convite das Bibliotecas Escolares do Agrupamento de Escolas da Guia.

A 1ª acção foi na Biblioteca da Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos com Ensino Secundário da Guia, com cerca de 40 alunos dos 4º, 5º e 6º anos, respectivas professoras, e alguns alunos e as 2 professoras da equipa da Biblioteca.


A 2ª acção foi no Centro Escolar dos Vieirinhos, com cerca de 60 crianças do 1º ao 4º ano de escolaridade, e respectivas professoras.


Em ambos os locais foi apresentado o trabalho do CERVAS e algumas das espécies selvagens protegidas com que o centro trabalha, bem como as suas ameaças, problemas de conservação e outros aspectos relacionados com a recuperação de fauna selvagem.

O CERVAS agradece o convite e pretende continuar a colaborar em futuras iniciativas.

21 de Março de 2012: Dia da Floresta em Vouzela

No dia 21 de Março de 2012 a ALDEIA/CERVAS realizou duas palestras para alunos do 7º ano da Escola Secundária de Vouzela, envolvendo cerca de 40 pessoas, entre alunos e professores.

Esta acção realizada no âmbito do Dia Mundial da Floresta teve como objectivos alertar os alunos para questões ambientais e divulgar o trabalho do CERVAS.

Para além de terem ficado a conhecer um pouco do funcionamento do centro e as principais causas de ingresso, os alunos foram informados sobre o modo de agir se encontrarem um animal selvagem ferido.


É de salientar o interesse demonstrado pelos alunos e a forma activa como promoveram interessantes discussões no final das palestras, através da apresentação de dúvidas. A ALDEIA/CERVAS agradece também à Escola Secundária de Vouzela o convite e a hospitalidade.

19 e 21 de Março de 2012: Devolução à Natureza de 2 milhafres-pretos em Coimbra

No dia 19 de Março de 2012 a Associação ALDEIA/CERVAS realizou em Coimbra uma acção de informação sobre o trabalho do centro para alunos de Medicina Veterinária, numa iniciativa desenvolvida em parceria com a Escola Universitária Vasco da Gama (EUVG).


Após uma sessão teórica de cerca de uma hora, os alunos deslocaram-se para a Mata Nacional do Choupal para conhecer este espaço florestal e o polo de recepção de animais selvagens aí existente.

Foi realizada uma breve aula de campo onde foram apresentados alguns aspectos relacionados com a ecologia do milhafre-preto (Milvus migrans) e algumas das suas ameaças, bem como as principais características que permitem a sua identificação, aproveitando o facto de no local existir uma das maiores colónias da espécie no nosso país.

Esta ave tinha ingressado no CERVAS no Verão de 2011 após ter sido apreendida por uma equipa do SEPNA/GNR a um particular que a mantinha em cativeiro ilegal desde muito jovem e encaminhada para o centro através do Parque Natural da Serra da Estrela.


Durante o exame físico não foram detectadas lesões, a plumagem estava em melhores condições do que é normal quando os animais são resgatados de situações de cativeiro ilegal e não havia problemas comportamentais graves.

Após cerca de 9 meses de permanência no CERVAS onde esteve em contacto com outras aves de rapina para socialização e treino, o milhafre-preto foi devolvido à Natureza perante cerca de 45 pessoas, maioritariamente estudantes universitários, que lhe deram o nome de "Gama".






No dia 21 de Março, nas comemorações do Dia Mundial da Árvore / Dia Mundial da Floresta na Mata Nacional do Choupal, foi devolvido à Natureza outro milhafre-preto, a quem foi dado o nome de "Briosa".

Nesta acção estiveram presentes diversas entidades, sendo de destacar a participação do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Daniel Campelo, que libertou a ave, e da Presidente da AFN/ICNB, Paula Sarmento.

22 de Março de 2012: Devolução à Natureza de 1 águia-calçada

No dia 22 de Março de 2012 às 11:00 procedeu-se à devolução à Natureza de uma águia-calçada (Aquila pennata) na aldeia de Lagarinhos, em Gouveia.


Esta acção foi realizada em conjunto com o Jardim de Infância do Abrigo da Sagrada Família e Escola EB1 de Lagarinhos, integrada na Semana da Floresta promovida pelo Município de Gouveia em colaboração com o Parque Natural da Serra da Estrela e a Associação ALDEIA/CERVAS.

Cerca de 50 pessoas, entre alunos e professores, tiveram a oportunidade de um contacto próximo com uma águia-calçada, e ficaram a conhecer alguns aspectos relacionados com a ecologia e problemas de conservação desta espécie.


Esta ave tinha ingressado no CERVAS em Setembro de 2011, após ter sido recolhida ferida num parque eólico, e apresentava lesões oculares graves, provavelmente causadas pelo embate contra alguma estrutura.


Após alguns meses de recuperação, que passou pelo tratamento das lesões e contacto outras aves de rapina, a ave foi devolvida à Natureza próximo de uma zona florestal rodeada de campos agrícolas, olivais e vinhas, próximo do Rio Mondego, um local adequado para a espécie.


Apesar da ave já estar preparada há algum tempo, só agora, no final do mês de Março, é que se considerou que seria possível proceder à sua libertação visto que se trata de uma espécie migratória que só agora está de regresso ao nosso país.


21 de Março de 2012: Dia da Árvore em Manteigas / Devolução à Natureza de 1 águia-de-asa-redonda

No dia 19 de Março de 2012 realizou-se uma acção de sensibilização promovida pelo Município de Manteigas no âmbito da comemoração do Dia Mundial da Árvore.

Tal como em anos anteriores, esta iniciativa envolveu várias entidades como o 1º Ciclo do Ensino Básico de Manteigas, Sapadores Florestais, Bombeiros Voluntários de Manteigas, Autoridade Florestal Nacional, Parque Natural da Serra da Estrela, GNR e a Associação ALDEIA/CERVAS.

Perante cerca de 200 pessoas procedeu-se à devolução à Natureza de uma águia-de-asa-redonda (Buteo buteo) que tinha ingressado no CERVAS no início do ano com uma fractura numa das asas.

Esta ave recebeu os tratamentos necessários para a recuperação das lesões, que passaram pela imobilização da asa afectada e fisioterapia, tendo sido posteriormente colocada em contacto com outras aves de rapina na fase final de treino e musculação.


O local escohido para a libertação, o Estádio Municipal de Manteigas, reunia as condições necessárias, por se tratar de uma zona aberta ampla com uma vasta mancha florestal envolvente, um habitat adequado à espécie.


Espécie do mês de Março: Milhafre-preto


O milhafre-preto (Milvus migrans) quando adulto apresenta uma plumagem castanho escuro uniforme por todo o corpo, enquanto que os juvenis possuem um sarapintado em forma de gota no peito, mas que à distância é insignificante. Comparativamente ao milhafre-real (Milvus milvus), o milhafre-preto não apresenta as "janelas" claras debaixo da asa, e a cauda demonstra ser mais curta e com uma forma furcada menos pronunciada, sendo características que permitem identificar a espécie em voo e distingui-la do seu congénere milhafre-real.


O milhafre-preto distribui-se de norte a sul do país, estando ausente de grande parte do Minho, do Douro Litoral, da Estremadura e do Algarve.
Pode ser visto num vasto leque de biótipos, como em zonas florestais pouco densas e terrenos abertos ocupados com pastagens ou cultivos, sendo igualmente associado a zonas húmidas como paúis, arrozais, barragens e rios. É visto também em cidades e aterros sanitários já que come também carne putrefacta e lixo.
Os milhafres-pretos que nidificam em Portugal passam o Inverno em África, sendo por isso considerada uma espécie estival. Abandonam o território continental em meados de Julho estendendo-se até Setembro, regressando ao nosso país em meados de Fevereiro-Março.


A alimentação do milhafre-preto é muito variada e inclui tanto presas vivas como restos de animais mortos (sendo frequente avistá-la a patrulhar as estradas tirando partido de animais mortos por atropelamento). Alimenta-se de pequenos peixes, crustáceos, répteis, anfíbios e mamíferos como o coelho-bravo.


Os milhafres-pretos fazem os seus ninhos em árvores junto à parte superior da copa, podendo ser reutilizados ano após ano ou construídos de raiz.
As posturas são constituídas por 2 ou 3 ovos, durando o período de incubação 26-28 dias e as crias abandonam o ninho aos 42 dias.

Bibliografia
(1) Bruun B., Svensson H. 2002. Aves de Portugal e Europa. Guias FAPAS. ISNB:972-95951-0-0
(2) Catry, P., Costa, H., Elias, G. & Matias, R. 2010. Aves de Portugal: Ornitologia do Território Continental. Assírio & Alvim, Lisboa. ISBN: 978-972-37-1494-4.

Saídas de campo: Aves Migratórias e Invernantes da Serra da Estrela

No dia 11 de Fevereiro de 2012 realizou-se uma saída de campo para observação de aves na Serra da Estrela, que coincidiu com a ultima acção levada a campo por técnicos do CERVAS na primeira época de colaboração com o Atlas de Aves Invernantes e Migradoras, coordenado pela SPEA e outras entidades.


Durante esta actividade foram percorridos diversos locais no concelho de Gouveia, nomeadamente Freixo, Figueiró, Melo, Vila Cortês, S. Paio, Nabais e Curral do Negro, de forma a cobrir diferentes tipos de habitats.


Durante o dia foram registadas cerca de 40 espécies, sendo de destacar o peneireiro-cinzento (Elanus caeruleus) por ser relativamente raro na zona, principalmente durante o Inverno, e o mergulhão-pequeno (Tachybaptus ruficollis) por não ser uma espécie regularmente observada nas saídas de campo nesta zona.


Desde Agosto de 2011 que vários técnicos e colaboradores do CERVAS têm realizado diversas saídas de campo no âmbito do Atlas de Aves Invernantes e Migradoras referido anteriormente, em 3 quadrículas de 10x10 km nos concelhos de Gouveia, Fornos de Algodres e Mangualde.



Foram realizadas 6 saídas de campo, 2 em cada quadrícula, de forma a registar as espécies existentes durante o periodo de migração (final de Verão e início de Outono) e no Inverno.


No total, foram registadas 100 espécies, sendo de destacar o rabirruivo-de-testa-branca (Phoenicurus phoenicurus) na época de migração ou o dom-fafe (Pyrrhula pyrrhula) e o tordo-zornal (Turdus pilaris) no período de Inverno.


Durante as saídas de campo têm sido envolvidos os voluntários, estagiários e colaboradores do CERVAS, cumprindo-se dessa forma objectivos pedagógicos e de formação, em simultâneo com a colaboração prestada pelos técnicos do CERVAS a nível pessoal com o Atlas.




Por outro lado, estas saídas têm permitido um melhor conhecimento da região uma vez que a maioria dos locais onde foram realizadas as saídas de campo não tinham sido ainda visitados.