Mensagens

A mostrar mensagens de Maio, 2012

Escola Secundária D. Inês de Castro visita o CERVAS


No dia 25 de Maio o CERVAS recebeu a visita de alunos e professores da Escola Secundária D. Inês de Castro, de Alcobaça.


Após uma palestra sobre o trabalho do centro durante a manhã, nas instalações da Direcção Regional de Agricultura de Gouveia (DRAG), os cerca de 100 visitantes puderam conhecer de perto, com maior detalhe, algumas das linhas de trabalho desenvolvidas pelo CERVAS.


Através do contacto com algum do material pedagógico e de divulgação existente no CERVAS os participantes ficaram a conhecer as espécies que ingressam com maior frequência no centro, as sua principais ameaças e alguns dos aspectos relacionados com a sua ecologia e comportamento.


Esta visita foi o ponto final de um dia de actividades em Gouveia, que incluiu também uma visita ao Parque Ecológico de Gouveia e a uma queijaria em Vila Nova de Tazem, após terem assistido a uma palestra sobre o queijo da Serra da Estrela, promovida pela DRAG. O CERVAS agradece o interesse da escola e a colaboração de todas as entidades envolvidas na visita.

Escola Adães Bermudes visita o CERVAS


No dia 15 de Maio o CERVAS recebeu a visita da Escola Adães Bermudes, pertencente à área urbana do Agrupamento de Escolas da Guarda.



Os cerca de 90 alunos e professores tiveram a oportunidade de conhecer algumas instalações do CERVAS em simultâneo com uma visita ao Parque Ecológico de Gouveia.


Durante cerca de 90 minutos os diferentes grupos ficaram a conhecer algumas espécies de fauna selvagem autóctone com que o CERVAS trabalha bem como algumas das suas ameaças e problemas de conservação.


O CERVAS agradece o enorme interesse e entusiasmo demonstrado por alunos e professores da Escola Adães Bermudes e está disponível para futuras acções em conjunto com o Agrupamento de Escolas da Guarda.




Espécie do mês de Maio: Raposa


A raposa (Vulpes vulpes) é um carnívoro de médio porte, com pelagem castanho-avermelhada e orelhas erectas e pontiagudas com a parte de trás preta. A cauda é comprida e espessa e com pêlos brancos na extremidade. O focinho é esguio e geralmente com o lábio superior branco. Normalmente a garganta é branca mas alguns indivíduos podem apresentar esta mancha acinzentada, podendo o mesmo acontecer com a pelagem da barriga, enquanto que as extremidades das patas são geralmente pretas.



A raposa é uma espécie bastante adaptável aos meios humanos, preferindo no entanto ocupar matagais em mosaico, florestas e campos agrícolas, sendo também abundante em zonas pantanosas, montanhas, acima da linha das árvores, dunas de areia, subúrbios e cidades.
As grandes plantações de coníferas são bons habitats quando existe vegetação arbustiva, embora as florestas maduras sejam usadas principalmente como abrigo. As tocas são escavadas por elas próprias ou aproveitam tocas de coelhos e texugos, podendo inclusive coabitar com estas duas espécies. Ests tocas podem encontrar-se nas margens dos rios, fendas das rochas, tubos de drenagem ou nos alpendres dos jardins e podem conter várias entradas.
São animais principalmente nocturnos e crepusculares podendo ser mais diurnos em locais sossegados.


A raposa é um animal oportunista, consumindo principalmente roedores, lagomorfos, aves, ovos, minhocas e insectos, podendo consumir também ouriço-cacheiros. Alimenta-se igualmente de animais mortos e desperdícios humanos em zonas rurais e urbanas, fruta e bagas.

Os acasalamentos desta espécie, ocorrem entre Dezembro e Fevereiro e a fertilização é possível durante 3 dias.O período de gestação dura 52-53 dias e os nascimentos ocorrem entre Março e Maio sendo constituídos por 4-5 crias por ninhada, existindo só uma por ano.
Ambos os progenitores cuidam das crias, cabendo ao macho trazer comida à fêmea até ao abrigo enquanto esta está impedida de sair da toca. Após o desmame, ambos os progenitores trazem comida aos juvenis. 


A raposa está classificada como Pouco Preocupante (LC) ,e por ser considerada como espécie cinegética, pode ser caçada sem restrições durante todo o período venatório. Além disso, pode ser alvo de controlo da sua abundância em zonas de regime cinegético especial.
Os principais factores de ameaça estão relacionados directamente com actividades humanas, nomeadamente com as medidas de controlo de predadores implementadas pelas Zonas de Caça dos diversos regimes cinegéticos, a própria caça, já que a raposa é considerada uma espécie cinegética, e a rede viária que leva a que se torne com frequência em vítima de atropelamentos.
O máximo registado de longevidade de uma raposa é de 9 anos em estado selvagem.

STRI


Conheça o STRI, o novo projecto da ALDEIA, dedicado à divulgação e conservação das aves de rapina nocturnas. Este blogue pretende reunir informação em que os protagonistas sejam os mochos, as corujas e os bufos. 


Toda a informação aqui

Devolução à Natureza de um açor em Figueiró da Serra


No dia 5 de Maio foi devolvido à Natureza em Figueiró da Serra, Gouveia, um açor (Accipiter gentilis) numa acção organizada em conjunto entre a ALDEIA/CERVAS e a organização do 4º Encontro de Veículos Clássicos de Gouveia - Serra da Estrela.


Esta ave de rapina diurna tinha ingressado no CERVAS em Agosto de 2011 após ter sofrido um trauma que lhe provocou fracturas em ambas as asas. Além disso, o jovem açor apresentava lesões orais causadas por tricomoníase, uma doença parasitária que afecta algumas espécies de aves.


Após cerca de 9 meses de tratamento que consistiu em imobilização de membros afectados, tratamento de lesões, enxerto de todas as penas da cauda e finalmente treino e musculação, este macho de açor foi devolvido à Natureza pela Sra. Presidente de Junta de Freguesia de Figueiró da Serra, em conjunto com cerca de 80 pessoas.


Foi escolhida para a libertação uma zona agrícola próxima de áreas de bosque na periferia da aldeia onde decorria mais uma etapa do evento promovido pela AssociaSão Julião - Serra a Fundo que durante o dia percorreu diversas localidades de Gouveia.



O CERVAS agradece novamente a disponibilidade e apoio das entidades organizadoras do evento e deseja continuar a desenvolver iniciativas conjuntas, à semelhança de anos anteriores, com o objectivo de contribuir para a divulgação da importância da conservação da fauna selvagem.