Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2015

Apadrinhe uma cria!


Como em anos anteriores o CERVAS começa a receber por esta altura, as primeiras crias da época 2015.

Você poderá ter um papel crucial na recuperação destas crias através do seu apadrinhamento!


Quando são encontradas crias de animais selvagens, estas só deveriam ser encaminhadas para um centro de recuperação se se considerar que o local apresenta riscos para os animais (ex: predação, atropelamento, etc...), caso contrário não se deveria intervir, uma vez que os progenitores se mantêm por perto e continuam a assegurar os cuidados parentais. Se for tomada a opção de recolher o animal este não deve ser sujeito a contacto com humanos e deve ser encaminhado imediatamente para um centro onde será feita a avaliação e a recuperação para posterior devolução à natureza.

Actualmente o CERVAS conta já com crias de coruja-do-mato, raposa, bufo-real e coruja-das-torres que poderá apadrinhar e assim acompanhar todo o seu processo de recuperação e crescimento!


Se quiser ajudar na recuperação destas crias pode fazê-lo através da campanha de apadrinhamentos e terá assim a oportunidade de acompanhar o seu desenvolvimento, solicitando informações e fotografias sempre que desejar. No final de todo o processo de recuperação será convidado a devolver o animal apadrinhado à natureza (por norma o local de devolução à natureza do animal ocorre na zona onde este foi encontrado).

Descarregue a ficha de apadrinhamento AQUI!

Veja outros animais para apadrinhar AQUI!


Em que consiste o apadrinhamento?

O apadrinhamento de animais selvagens em recuperação no CERVAS consiste numa contribuição simbólica única e com a qual estará a contribuir de forma decisiva na melhoria das condições dos animais em recuperação neste centro.

O que recebem os padrinhos?

Todos os padrinhos que apadrinhem um animal selvagem em recuperação no CERVAS receberão um certificado de apadrinhamento, um boletim informativo a respeito da espécie apadrinhada, fotografias do afilhado(a) e ainda, terá a possibilidade de assistir à sua devolução à Natureza (se tal for possível no final do processo de recuperação).

Nota: os valores indicados referem-se a apadrinhamento individual/particular. Caso pretenda ceder apoios através de uma instituição / empresa, os valores mínimos serão de 250€ para qualquer espécie indicada anteriormente (podendo ser deduzidos no IRS ao abrigo da lei do mecenato ambiental).

Formas de pagamento:

CHEQUE: Em nome de Associação ALDEIA enviado juntamente com a ficha de inscrição para a morada em cima mencionada.

TRANSFERÊNCIA*: NIB: 003503540003190733089 (Caixa Geral de Depósitos de Gouveia)

* Enviar comprovativo de transferência por correio para a morada acima indicada, ou por correio electrónico para cervas.pnse@gmail.com

A Só Pedala visitou o CERVAS e devolveu à Natureza uma águia-d´asa-redonda


No dia 19 de Abril de 2015 o CERVAS recebeu a visita dos ciclistas da Só Pedala e respectivos familiares.



Durante uma das suas actividades, no final de 2014, os elementos desta equipa de ciclismo tinham encontrado na berma de uma estrada uma águia-d´asa-redonda (Buteo buteo) debilitada.


De imediato, entraram em contacto com o SEPNA/GNR de Mangualde que recolheu a ave e a entregou no CERVAS.


No momento do ingresso no centro verificou-se que a ave estava com o peso muito abaixo do normal, apresentava fracturas em ambas as asas já consolidadas e havia indícios de poder ter estado em cativeiro ilegal.


O processo de recuperação consistiu em alimentação para melhoria da condição física e vários meses de fisioterapia e treino de voo em contacto com outras aves de rapina.


A devolução à Natureza decorreu numa zona que reúne as condições adequadas para esta espécie, e foi presenciada pelos membros da Só Pedala e respectivos familiares e amigos e ainda padrinhos e colaboradores do CERVAS.


O CERVAS agradece à Só Pedala a visita e enaltece todo o carinho e interesse pela águia-d´asa-redonda que salvaram e que já faz parte da história da equipa.


O CERVAS visitou o Centro de Convívio de Álvares Cabral no Porto


No dia 10 de Abril de 2015 o CERVAS realizou uma palestra no Centro de Convívio dos Serviços Sociais da Administração Pública na Rua de Álvares Cabral no Porto.


O convite partiu dos utentes e responsáveis pelo centro e o objectivo foi apresentar o trabalho que é desenvolvido em Portugal ao nível da recuperação de animais selvagens, com destaque para o trabalho e os casos com que o CERVAS e o RIAS têm que lidar diariamente.


Durante cerca de duas horas os participantes tiveram também oportunidade de ficar a conhecer melhor algumas das espécies protegidas de animais selvagens que existem em Portugal e os seus problemas de conservação.


O CERVAS agradece o convite e o interesse, aguardando agora por uma visita dos utentes do centro a Gouveia e ao Parque Natural da Serra da Estrela. 

"Os cágados vão à escola" no Centro Escolar de Santo Estevão em Viseu


No dia 10 de Abril de 2015 decorreu mais uma sessão de educação ambiental no âmbito do projecto "Os Cágados Vão à Escola", desta vez no Centro Escolar de Santo Estevão em Viseu.


Foram realizadas duas sessões para as crianças do Jardim de Infância nas quais foram apresentadas as duas espécies de cágados existentes em Portugal através do conto infantil Mauro e Emília, de Ana Mafalda Alves, e a problemática das espécies exóticas de tartarugas invasoras.


Previamente tinha sido lançado o convite às educadoras para que divulgassem a acção junto das crianças e respectivos encarregados de educação de forma a que quem tivesse tartarugas em casa pudesse levá-las para a sessão para que se procedesse à sua identificação e avaliação geral.


Para além das informações relacionadas com os riscos ecológicos associados à presença de tartarugas exóticas invasoras em meio natural foram abordados os cuidados necessários para que os animais que as crianças têm em casa estejam em boas condições de forma a reduzir riscos sanitários.


Como tem acontecido nas sessões já realizadas foram detectados animais de uma espécie cuja comercialização é proibida há muitos anos, nomeadamente a tartaruga-de-orelhas-amarelas (Trachemys scripa scripta), mas que pelo menos uma loja da região continua a vender, facturando estes animais como sendo de outra espécie, de venda legal. 


O SEPNA/GNR de Viseu esteve presente nesta actividade para conhecer melhor as temáticas abordadas e as diversas problemáticas associadas, nomeadamente a questão da comercialização de espécies proibidas.

Devolução à Natureza de um mocho-galego em Paços da Serra


No dia 9 de Abril de 2015 foi devolvido à Natureza um mocho-galego (Athene noctua) em Paços da Serra, Gouveia.


Esta ave tinha sido atropelada e quando ingressou no CERVAS apresentava parésia posterior tendo começado a mover os membros afectados apenas ao fim de um mês de recuperação. 


Inicialmente o mocho recebeu tratamento específico e de suporte e depois iniciou o processo de fisioterapia, tendo-se seguido longos meses de treino, musculação e socialização em contacto com outras aves da mesma espécie.


A devolução à Natureza teve lugar junto à ribeira de Paços da Serra e foi realizada pelos participantes na acção de limpeza de lixo que tinha decorrido anteriormente.


O local onde a ave foi libertada era constuido por olival e campos agricolas, junto à linha de água, sendo por isso um habitat adequado para a espécie.

As crianças de Paços da Serra limparam o lixo da ribeira da sua aldeia


No dia 9 de Abril de 2015 decorreu uma actividade de limpeza de lixo na ribeira de Paços da Serra em Gouveia.


Esta actividade foi dinamizada pelo Grupo Aprender em Festa (GAF) no âmbito do projecto Uma Aventura no Mundo da Cidadania e envolveu as crianças e educadoras da Escola de Paços da Serra, a Junta de Freguesia local e o CERVAS.


A iniciativa partiu das próprias crianças da aldeia que, no âmbito do projecto anteriormente referido, identificaram problemas nalguns locais de Paços da Serra, sendo um deles a acumulação de lixo na ribeira que atravessa a sua aldeia.


Por isso, com a colaboração das várias entidades envolvidas, foi recolhido todo o lixo detectado num troço da ribeira, desde pneus e sacos de plástico até telemóveis, calçado, peças de roupa e até embalagens de medicamentos que estavam a poluir a linha de água.


Como o trabalho de limpeza teve que ser realizado por turnos, de forma a envolver as crianças da forma mais segura possível, o CERVAS realizou em simultâneo algumas oficinas de educação ambiental para que as crianças pudessem ficar a conhecer melhor a fauna selvagem da região, com destaque para as que estão mais associadas às ribeiras.


Sempre que era possível as crianças foram também observando animais que existem em Paços da Serra, como foi o caso de algumas aves como a alvéola-cinzenta (Motacilla cinerea), a andorinha-das-rochas (Ptyonoprogne rupestris), o chapim-real (Parus major) e a águia-calçada (Aquila pennata) ou anfíbios como a rã-ibérica (Rana iberica).


O CERVAS agradece o convite e continua disponível para futuras acções de educação ambiental em parceria.

O Jardim de Infância de Gouveia visitou a Casa da Torre


No dia 9 de Abril de 2015 as crianças e educadoras do Jardim de Infância de Gouveia visitaram a Casa da Torre.


Esta foi mais uma acção no âmbito do Programa Eco-Escolas em Gouveia e teve como objectivo continuar a aumentar o conhecimento das crianças sobre a fauna selvagem que existe na região.


Todos os grupos de fauna foram abordados mas foi dado um destaque especial ao dos répteis, uma vez que já tinha havido acções anteriores em que tinham sido apresentados alguns temas como por exemplo a problemática das tartarugas exóticas invasoras, sobre os quais as crianças tinham estado a desenvolver trabalhos.


As crianças aproveitaram a oportunidade para entregar ao CERVAS alguns dos resultados do seu trabalho, nomeadamente desenhos de cágados com representação de alguns dos aspectos da sua biologia, e ainda uma tartaruga em grande formato feita com materiais reutilizados e que futuramente irá fazer parte da exposição da Casa da Torre.


O CERVAS agradece mais uma vez ao Jardim de Infância de Gouveia pelo grande interesse e empenho, tanto das crianças como das educadoras, e continua disponível para futuras acções em parceria.