Mensagens

A mostrar mensagens de Março, 2011

Educação e Sensibilização Ambiental: 24 de Março de 2011

No passado dia 24 de Março o CERVAS dinamizou duas acções de educação e sensibilização ambiental no Município de Seia, em colaboração com o PNSE - Parque Natural da Serra da Estrela, para dois públicos muito distintos.

10.15 h - Escola Básica Correia de Carvalho, Seia


Os técnicos do CERVAS apresentaram uma pequena palestra inserida na Semana da Leitura, para cerca de 40 alunos do 3º ciclo e seus professores, de duas turmas integradas no Programa Eco-Escolas. Os alunos puderam ficar a conhecer uma das estruturas que contribui para a divulgação e conservação de fauna autóctone que se encontra na sua região. Foram abordadas diferentes temáticas, essencialmente focadas no trabalho realizado pelo CERVAS, na diversidade de espécies, e debatidas algumas questões pertinentes no âmbito da recuperação de fauna selvagem e conservação da natureza. Os alunos demonstraram bastante interesse na temática, tendo sido bastante participativos.


Desta forma puderam ficar a conhecer uma estrutura localizada na região de residência deles (Serra da Estrela) e o que fazer quando encontrarem um animal selvagem ferido.

14.30 h - Academia Sénior de Seia, Seia

Durante a parte da tarde foi realizada uma palestra para os alunos da Academia Sénior de Seia. Mais uma vez os participantes demonstraram grande interesse na temática apresentada, também focada no trabalho do CERVAS e recuperação da fauna selvagem. Os participantes participaram e intervieram com questões pertinentes.


No final do dia os técnicos concluíram ser bastante interessante o trabalho com diferentes faixas etárias, permitindo um contacto directo com diferentes pessoas que olham a natureza de diferentes perspectivas, mas que no fundo todos temos que ter um papel activo na conservação do nosso património natural.

O CERVAS deixa por último o agradecimento ao PNSE pelo convite para a realização destas duas acções.

Visita do CERVAS às EB1 de Folgosinho, Melo, Arcozelo e Paços da Serra

No âmbito de um estágio curricular de Biologia da Universidade de Aveiro no CERVAS, têm sido desenvolvidas actividades nas escolas EB1 e Jardins de Infância do agrupamento de Gouveia, inserido no programa Eco-Escolas.

Uma das partes do estágio consiste em quatro visitas nas quais serão abordadas diferentes temáticas relacionadas com o trabalho do CERVAS. Estas acções decorrerão entre Março e Junho, uma por mês em cada escola, nas EB1 de Melo, Folgosinho, Paços da Serra e Arcozelo. As sessões estão adaptadas às idades do público-alvo, incluindo apresentações orais, actividades desenvolvidas pelas crianças e testes de diagnóstico. No final, as turmas repetem os testes, sendo desafiadas a apresentarem pequenos trabalhos sobre o tema da sessão daquele dia, na visita do mês seguinte.

Através da avaliação realizada aos alunos são recolhidos dados para tratamento estatístico e apresentação no relatório final do estágio, com o objectivo de estudar a forma como as mensagens têm sido transmitidas aos alunos, no sentido de continuamente se melhorar as acções de Educação Ambiental do CERVAS. A EB1 de S. Julião e os Jardins de Infância de Melo, Folgosinho, Arcozelo, Moimenta da Serra e Gouveia contarão também com uma visita do CERVAS no âmbito do estágio curricular, o que permitirá alargar o público-alvo.

No dia 14 de Março os 19 alunos da EB1 de Folgosinho e os 15 da EB1 de Melo receberam com entusiasmo a primeira sessão.


EB1 de Folgosinho


EB1 de Melo


A 17 de Março foi a vez da EB1 de Arcozelo, com 20 alunos e da EB1 de Paços da Serra, com 29 alunos receberem a mesma sessão.


EB1 Arcozelo


EB1 Paços da Serra


Nesta primeira visita as turmas aprenderam o que é o CERVAS, distinguiram animais domésticos de animais selvagens e ficaram a saber como proceder se encontrarem um animal selvagem ferido. No final da parte mais teórica os alunos participaram num pequeno teatro onde representaram todo o processo da recuperação dum animal selvagem que ingressa no CERVAS. Nesse teatro simularam o caminho que uma ave teve que percorrer desde que a encontraram ferida, após queda de uma árvore, passando pelo tratamento, até à sua devolução à natureza.
Foram dias muito gratificantes sobretudo na altura em que as perguntas chave eram respondidas correctamente e sem qualquer dúvida pelas crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 10 anos.

Workshop - Determinação de Sexo e Idades de Aves de Rapina em Centros de Recuperação


No passado fim-de-semana (19 e 20 de Março de 2011) realizou-se em Gouveia a primeira edição do Workshop de Determinação de Sexo e Idades de Aves de Rapina em Centros de Recuperação. Esta actividade organizada no âmbito do Projecto BARN do CERVAS/ALDEIA tinha como objectivos reunir e transmitir os conhecimentos e experiências adquiridas nos centros de recuperação sobre a determinação da idade e sexo em aves de rapina (diurnas e nocturnas) e assim dinamizar e promover a evolução do conhecimento existente em Portugal em relação a esta temática.

A determinação do sexo e idade em aves de rapina assume-se como uma tarefa imprescindível no trabalho dos centros de recuperação, não só pela elevada quantidade de animais que ingressam como pelo manancial de informação e de dados que a realidade dos centros de recuperação permite. Além disso, um melhor trabalho na recuperação destas aves exige que técnicos e colaboradores dos centros de recuperação adquiram o máximo de informação possível no que respeita a esta temática.

Nesta actividade estiveram presentes 12 participantes, sendo os formadores Ricardo Brandão, André Aguiar, Samuel Duarte, José Pereira, Daniela Costa e Lúcia Lopes.



No primeiro dia da actividade foi dado a conhecer aos participantes os aspectos gerais dos métodos de determinação de sexo e idades em aves de rapina e posteriormente foi abordado, para cada espécie, a forma de determinar o sexo e a idade.



No segundo dia, decorreu uma sessão prática de determinação do sexo e da idade das aves de rapina usando cadáveres. Pretendeu-se com esta sessão prática, que os participantes colocassem em prática os conhecimentos transmitidos no dia anterior.


Agradecemos a presença de todos os participantes e ainda o apoio do Parque Natural da Serra da Estrela/ICNB, Caixa Geral de Depósitos, Delta Cafés, Sumol-Compal - Águas da Serra da Estrela e Agrupamento de Escolas de Gouveia.

Actividades no Dia da Floresta

No Dia da Floresta, 21 de Março, o CERVAS dinamizou várias acções de educação ambiental em Gouveia, Manteigas e Viseu. Estas actividades contaram com a participação de cerca de 425 pessoas, principalmente crianças e estudantes.


No concelho de Gouveia, numa acção promovida pela Câmara Municipal de Gouveia / DLCG no Parque Ecológico de Gouveia, cerca de 350 crianças de várias escolas do concelho tiveram a oportunidade de conhecer algumas instalações do CERVAS.


Durante toda a manhã, além de plantação de árvores autóctones promovida pela autarquia, os alunos puderam contactar com diverso material e espaços pedagógicos no CERVAS.



Durante a visita, as crianças e professores de 14 escolas do concelho puderam conhecer o trabalho desenvolvido no centro, tendo também ficado informados e sensibilizados para a conservação de várias espécies de fauna selvagem autóctone.


Enquanto decorria esta acção no CERVAS, técnicos deste centro dinamizaram durante a manhã uma palestra no Centro Cívico de Manteigas, para os cerca de 45 alunos da Escola Profissional de Hotelaria de Manteigas e da Escola Secundária de Manteigas.


Durante a palestra foram abordadas diferentes temáticas focando o trabalho realizado no CERVAS no âmbito da recuperação de fauna selvagem e a importância da sensibilização e divulgação da biodiversidade do território Português e as problemáticas associadas à conservação dessas espécies.


Os alunos mostraram-se bastante interessados nos assuntos abordados, e entre eles fizeram uma colecta para um apadrinhamento de uma ave selvagem em recuperação no CERVAS e dessa forma contribuíram para recuperação de uma ave ferida.


Já durante a tarde, os técnicos dirigiram-se para a Escola Básica Grão Vasco em Viseu, onde apresentaram aos cerca de 30 alunos de duas turmas do 5º e 7º ano o trabalho desenvolvido num centro de recuperação e a biodiversidade da fauna portuguesa.

Libertação: 17 de Março de 2011

17 de Março de 2011, Quinta-feira
Devolução à natureza de uma águia-d'asa-redonda (Buteo buteo)
14.15 h - Junto ao campo de tiro, Manteigas

No passado dia 17 de Março o Município de Manteigas promoveu a comemoração do Dia da Árvore, numa iniciativa que envolveu os alunos e professores da EB 2/3 de Manteigas e Escola Profissional de Hotelaria de Manteigas. Esta campanha de sensibilização para a problemática dos incêndios florestais e de promoção do contacto com o meio rural contou com a colaboração dos Sapadores Florestais de Manteigas, PNSE - Parque Natural da Serra da Estrela, AFN - Autoridade Florestal Nacional e do CERVAS que devolveu à natureza uma águia-d'asa-redonda.


A actividade começou no Solar da Castanha com a devolução à natureza da ave recuperada no CERVAS e prosseguiu com uma Eco-caminhada pela Rota da Reboleira e culminou com a reflorestação de uma área ardida com a plantação de 1000 árvores autóctones.


A ave devolvida à natureza é um animal juvenil que se encontrava numa situação de cativeiro ilegal, e ingressou no CERVAS por intermédio dos vigilantes da natureza da RNPA - Reserva Natural Paúl Arzila. O animal encontrava-se bastante debilitado e desnutrido pelo que a sua recuperação passou essencialmente por uma alimentação adequada, de forma a recuperar a óptima condição física, e treinos de voo e caça.



No momento de devolução estiveram presentes cerca de 100 pessoas que baptizaram a ave de 'Reboleira'.

O CERVAS agradece ao Município de Manteigas o convite para a colaboração nesta actividade.

V Jornadas da Biologia da Conservação

Anadia
2 e 3 de Abril de 2011



Diversos fenómenos ambientais como o aquecimento global, a emissão de poluentes, o abandono agrícola ou a desertificação, têm vindo a ser apontados como os principais responsáveis pela perda de biodiversidade e diminuição das populações de algumas espécies.

Neste contexto, a Biologia da Conservação é um ramo da Biologia que tem como principal objectivo manter os níveis de biodiversidade. Estudando a ecologia das populações das espécies ameaçadas e apontando as principais ameaças, propõe medidas de gestão de forma a inverter as actuais tendências de decréscimo.

Através das Jornadas de Biologia da Conservação, a ALDEIA pretende reunir especialistas portugueses e estrangeiros e todos os interessados nesta temática, para fomentar a partilha de informação e conhecimentos, lançando novas metas e propostas de trabalho futuro.

As Jornadas da Biologia da Conservação iniciaram-se em 2005 em Bragança como uma introdução à temática, em 2008 em Macedo de Cavaleiros com o tema da recuperação de aves Rupícolas, em 2009 em Seia com o tema Biótopos de montanha e em 2010 em Campo Maior enquadrada no Ano Internacional da Biodiversidade, tendo sempre uma boa receptividade e participação por parte do público.

Nesta 5ª edição, fazendo o enquadramento no Ano Internacional das Florestas, serão abordados diversos temas relacionados com a conservação, a sustentabilidade e a importância das Florestas na Conservação da Natureza sob diferentes pontos de vista, conceitos e relevâncias.


Mais informações, Programa e Inscrições aqui.

CERVAS nas XII Jornadas de Biologia Aplicada

No dia 10 de Março de 2011 o CERVAS dinamizou um mini-workshop sobre Recuperação de Animais Selvagens em Braga, nas XII Jornadas de Biologia Aplicada. Este evento foi organizado pelos alunos finalistas da Licenciatura em Biologia Aplicada da Universidade do Minho e tem como objectivos divulgar a investigação mais relevante nas áreas científicas relacionadas com a Biologia num ambiente informal e propício ao debate e ao estabelecimento de sinergias.


O mini-workshop contou com a participação de cerca de 30 estudantes de Biologia, de vários locais do país, a quem foi proporcionado o contacto com diferentes espécies de fauna selvagem autóctone, tendo também sido possível a transmissão de informação sobre as suas principais ameaças e qual o trabalho que é desenvolvido pelos centros de recuperação em Portugal, com particular destaque para o que se tem desenvolvido no CERVAS e RIAS.




O CERVAS agradece à organização das XII Jornadas de Biologia Aplicada o amável convite bem como todo o apoio durante a dinamização do evento.



Curso Prático de Construção, Gestão e Monitorização de Charcos para a Vida Selvagem


Nos passados dias 12 e 13 de Março de 2011 teve lugar o Curso Prático de Construção, Gestão e Monitorização de Charcos para a Vida Selvagem promovido pela Associação ALDEIA no âmbito do CERVAS.

A realização deste curso teve como objectivo a divulgação da campanha 'Charcos com Vida' que pretende incentivar a descobrir, valorizar e investigar os charcos e a sua biodiversidade. É proposto a realização de um conjunto de actividades de exploração científica e pedagógica, que visam contribuir para o conhecimento da biodiversidade e importância destes habitats, bem como sensibilizar e mobilizar a comunidade escolar e local para a preservação dos charcos enquanto reservatórios de biodiversidade e laboratórios vivos.



Os charcos são ecossistemas aquáticos de pequena ou média dimensão que suportam uma elevada biodiversidade ao nível de diversos grupos de seres vivos e encontram-se em acentuado declínio em toda a Europa devido a pressões humanas diversas. Sendo assim, este workshop surgiu no âmbito do projecto ‘Charcos com Vida’ do CIBIO-Div e visa a fomentação para a construção de charcos, proporcionando os conhecimentos básicos sobre o seu ciclo de vida, a fauna e flora associada, e a sua construção e impermeabilização.



Durante o primeiro dia da actividade foi dado a conhecer aos participantes as diferentes características de um charco e a vida selvagem que está associada a ele. Já no final do dia realizaram uma saída de campo para caracterizarem e inventariarem um charco e também realizaram uma saída nocturna para observação de fauna num tanque, onde se encontraram várias espécies de anfíbios.



No dia 13, os participantes tiveram a oportunidade de aplicar alguns dos conhecimentos adquiridos para construir um charco, no entanto, no local onde era proposto a sua construção já se encontrava uma pequena massa de água, coberta de vegetação pelo que não foi necessária a impermeabilização do local, tendo-se feito apenas o trabalho de recuperação desse charco. Removeram-se algumas plantas, transplantaram-se outras e aumentou-se a massa de água. No final o local ficou com um aspecto muito mais agradável e mais propício à instalação da vida selvagem diversa.





No total estiveram presentes 33 participantes (incluindo convidados, formadores e organização) de diversas áreas e formações. Do CIBIO-Div estiveram presentes 4 formadores, Armando Alves, Jael Palhas, José Teixeira e Vasco Flores Cruz, responsáveis pela implementação da Campanha 'Charcos com Vida' e aos quais agradecemos o seu contributo.



A organização gostaria também de agradecer às diferentes entidades que apoiaram a realização deste evento: Quinta da Caramuja pela cedência do local para construção do charco, DLCG - Empresa Municipal de Gouveia, Câmara Municipal de Gouveia pela cedência do Auditório da Biblioteca Municipal Vergílio Ferreira, Sumol-Compal - Águas da Serra da Estrela, restaurante 'A Fonte'.

Visita dos escuteiros de Coja ao CERVAS


No dia 26 de Fevereiro de 2011 o CERVAS recebeu a visita dos escuteiros de Coja do agrupamento 696. O convite partiu da iniciativa do Grupo de escuteiros Cojense com o objectivo de conhecer o CERVAS e o seu trabalho e proporcionar uma experiência de contacto com a natureza.

O grupo era constituído por diversos escalões, tendo sido dividido consoante as idades em grupos de trabalho. Os lobitos e exploradores tiveram uma sessão de educação ambiental, onde com jogos e diverso material didáctico e biológico aprenderam sobre a fauna existente no nosso país assim como as principais ameaças e noções básicas sobre o processo de recuperação dos animais quando ingressam no CERVAS.


Os restantes escalões (pioneiros e caminheiros) foram igualmente divididos em campos de trabalho onde ajudaram a plantar árvores de espécies autóctones e a preparar a horta do CERVAS.


O CERVAS agradece a todos os lobitos, exploradores, pioneiros e caminheiros do Agrupamento 696 do C.N.E da Vila de Coja que estiveram presentes, pela ajuda prestada.