Apoie o trabalho do CERVAS! Faça um donativo para o NIB: 003503540003190733089 (Caixa Geral de Depósitos de Gouveia), ou apadrinhe um animal em recuperação.

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Devolução à Natureza de 1 águia-pesqueira em Montemor-o-velho


No dia 6 de Abril de 2016 foi devolvida à Natureza uma águia-pesqueira (Pandion haliaetus) em Montemor-o-velho.


Esta ave tinha sido encontrada a 12 de Março por particulares na ilha da Murraceira, Figueira da Foz. Esta águia estava no chão, incapaz de voar e foi de imediato entregue ao Centro de Recuperação de Animais Marinhos de Quiaios (CRAM-Q).


Após ser avaliada e receber os primeiros cuidados no CRAM-Q a ave foi encaminhada para o CERVAS através dos vigilantes da Natureza do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).


No momento do ingresso no CERVAS verificou-se que a águia-pesqueira apresentava um extenso hematoma numa das asas e uma pequena ferida numa das patas, lesões compatíveis com electrocussão, tendo por isso sido de imediato aplicado tratamento específico. 


É de referir que esta foi a primeira ave desta espécie a ingressar no CERVAS desde o início do funcionamento do centro em 2006. Por isso foi necessário fazer algumas adaptações a ajustes tendo em conta as necessidades e particularidades desta espécie, pouco comum no nosso país e com requisitos especiais no que respeita à manutenção em cativeiro para recuperação.


O processo de recuperação, que para além do tratamento das lesões consistiu em treino de voo, foi realizado no mais curto espaço de tempo possível (cerca de 3 semanas) uma vez que esta ave já deveria estar no seu local de nidificação na Alemanha, onde a fêmea já está a ser cortejada por outros machos. Estes dados são conhecidos porque a águia-pesqueira estava marcada com anilhas metálicas e emissor desde 2009, sendo seguida desde essa altura por investigadores alemães, que monitorizam vários indivíduos desta espécie. 


A ave foi devolvida à Natureza junto ao rio Mondego, numa zona que se sabia que era frequentada por este indivíduo antes do acidente, graças aos dados do seguimento/GPS. 


A águia está marcada com as mesma anilhas com que entrou sendo a mais fácil de observar/fotografar a da pata esquerda (azul AZ), pelo que se apela a todos os observadores e fotógrafos de aves para que enviem todas as informações que possam vir a obter no futuro sobre esta ave.


O CERVAS agradece ao CRAM-Q e ao ICNF pela recolha, transporte e apoio à devolução à Natureza, a Daniel Schmidt-Rothmund (NABU) e Bernd Meyburg pelas informações relacionadas com o seguimento da águia-pesqueira e à Wilder pela notícia.


Sem comentários: