Charcos com Vida


Foto: Charco para anfíbios II

Durante o ano de 2010 o CERVAS concretizou o projecto que consistia na construção de charcos para a fixação de anfíbios. Os charcos constituem ecossistemas aquáticos que suportam uma elevada biodiversidade ao nível de diversos grupos de seres vivos, incluindo algas, plantas aquáticas, moluscos, crustáceos, insectos, anfíbios, répteis e aves aquáticas. Para alguns grupos de seres vivos, como é o caso das libélulas e dos anfíbios os charcos são essenciais para completarem o seu ciclo de vida, fornecendo meios aquáticos apropriados para a sua reprodução, abrigo e alimento. Ao mesmo tempo são locais onde diversos animais como répteis e aves se vão alimentar.

Foto: rã-ibérica (Rana iberica)

Desta forma a adopção destes charcos por parte do CERVAS pretende, além de contribuir para a conservação destes grupos de animais, servir como uma ponte de comunicação e de educação ambiental a quem visite o centro e fomentar a adopção de charcos pelas diversas entidades e particulares que por aqui passam.

Foto: 1ª fase do processo de construção do charco para anfíbios I
Foto: 2ª fase de construção do charco para anfíbios I

Neste momento o CERVAS já dispõe de dois charcos, construídos pelos técnicos do centro e com a ajuda de alguns voluntários. A colonização dos charcos foi mais rápida do que se esperava e após dois meses de se acabarem os trabalhos confirmou-se a presença de quatro espécies de anfíbios: salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra), tritão-marmorado (Triturus marmoratus), tritão-de-ventre-laranja (Triturus boscai) e rã-ibérica (Rana iberica); do grupo dos répteis confirmou-se a cobra-de-pernas-tridáctila (Chalcides striatus) e o licranço (Anguis fragilis). Além destes grupos foram observadas várias espécies de aves, entre as quais a alvéola-cinzenta (Motacilla cinerea) , a alvéola-branca (Motacilla alba) , a carriça (Troglodytes troglodytes) e o pintassilgo (Carduelis carduelis).

Foto: Salamandra-de-pintas-amarelas (Salamandra salamandra)

Comentários

Paul d.C. disse…
hehe, a salamandra-de-pintas-amarelas já anda ali como se fosse dona do charco.

Parabéns por mais um bom trabalho =)
Madalena Ribeiro disse…
Boa noite, queria desde já dar os parabéns pelo trabalho realizado com os charcos :)

Eu pertenço a um grupo de Área de Projecto de 12º ano, de uma escola de Setúbal no qual tivemos a ideia de realizar também um charco na nossa escola, pelo que gostava de saber mais informações sobre o vosso projecto, se fosse possível.
Madalena Ribeiro disse…
Boa noite, queria desde já dar os parabéns pelo trabalho realizado no charco :)

Eu pertenço a um grupo de Área de Projecto de 12º ano, de uma escola de Setúbal, no qual tivemos a ideia de construir também um charco na nossa escola, pelo que gostaríamos de ter mais informações sobre o vosso projecto, se fosse possível.
CERVAS disse…
Olá Madalena Ribeiro,

Agradecemos o interesse e poderemos discutir e partilhar informações acerca deste projecto, de forma que nos podes contactar para o seguinte e-mail: cervas.pnse@gmail.com

Atentamente
JPer

Mensagens populares deste blogue

Espécie do mês de Maio: Cobra-rateira

Devolução à Natureza de 1 coruja-do-mato no Festival Músicas do Bosque

II passeio de observação de aves e devolução à Natureza de 1 milhafre-preto em Marmeleira, Mortágua.

Espécie do mês de Junho: Víbora-cornuda

Devolução à Natureza de 1 gaio na Mata da Cerca com o Club Camões

Espécie do mês de Junho: Ouriço-cacheiro

Devolução à Natureza de um tartaranhão-ruivo-dos-pauis na Figueira da Foz

Espécie do mês de Setembro: Cágado-mediterrânico

Espécie do mês de Setembro: Estorninho-preto