sexta-feira, 9 de setembro de 2011

8 de Setembro de 2011: Devolução à Natureza de 1 andorinha-dos-beirais, 1 carriça e 1 cobra-de-água-de-colar

8 de Setembro de 2011, Quinta-feira
9:00, Vinhó, Gouveia - Devolução à Natureza de uma andorinha-dos-beirais

Esta andorinha-dos-beirais (Delichon urbica) ingressou no dia 25 de Agosto, após queda de ninho, e foi recolhida por um particular que a encaminhou para o CERVAS através do SEPNA-GNR de Gouveia.



A ave apresentava uma boa condição física mas estava ligeiramente desidratada e desnutrida, pelo que a sua recuperação consistiu em hidratação e alimentação adequada, com larvas de insectos, durante cerca de duas semanas. No fase final do processo, foram realizados treinos de voo e musculação para garantir uma boa capacidade de voo.


A devolução à Natureza desta ave, baptizada de "Tenébrio", teve lugar na aldeia de Vinhó, em Gouveia, e foi realizada por técnicos e voluntários do CERVAS junto de uma colónia onde ainda se podem observar uma grande quantidade de indivíduos da mesma espécie.





8 de Setembro de 2011, Quinta-feira
10:30, Vinhó, Gouveia - Devolução à Natureza de uma carriça

Esta carriça (Troglodytes troglodytes) foi vítima de cativeiro acidental tendo ficado presa numa área vedada dentro das instalações do CERVAS e apresentava sinais de algum desgaste físico e cansaço.


Após exame físico no qual não foram detectadas lesões, foram efectuados testes de voo e a ave foi devolvida à Natureza num local próximo daquele onde tinha sido encontrada.




8 de Setembro de 2011, Quinta-feira
18:00, Ribamondego, Gouveia - Devolução à Natureza de uma cobra-de-água-de-colar

Esta cobra-de-água-de-colar (Natrix natrix) ingressou no CERVAS no dia 21 de Julho de 2011 após ter sido atacada por um cão.


Durante o exame físico foi possível detectar várias feridas bem como uma lesão traumática ao nível da coluna vertebral. Após tratamento das lesões e várias semanas de repouso e alimentação à base de peixe e pequenos ratos, a cobra ficou apta para a devolução à Natureza.


Foram também realizados vários testes e sessões de treino para avaliar a capacidade de mobilidade do animal, principalmente no terço posterior do corpo que tinha sido o mais afectado pelo trauma.


A devolução à Natureza foi efectuada num local tranquilo que reunia condições optimas para a espécie, junto ao rio Mondego.


No momento da libertação da cobra, baptizada de "Scofield" - uma alusão às excelentes capacidade de fuga que este animal demonstrou durante o processo de recuperação -, estiveram presentes técnicos e voluntários do CERVAS.




O local escolhido foi o rio Mondego, entre Ribamondego e Arcozelo, um dos locais mais bonitos do concelho de Gouveia, muito frequentado por turistas e pescadores. Infelizmente, apesar da beleza natural do local, é frequente encontrar muito lixo dentro do rio e nas margens, pelo que fica o apelo à população e entidades competentes para que haja maior respeito e cuidado com este local. No final da devolução à Natureza da cobra, procedeu-se à recolha de algum do lixo existente, com os meios disponíveis no momento, mas infelizmente muito mais ficou por recolher.

1 comentário:

AL-GAFE disse...

Parabéns. Para compensar a incompreensão e crueldade a que são votados quase todos os répteis em Portugal.